Notícias   ››   Gestão TI   ››   Estratégia
Vida Digital

Sua empresa está preparada para as consequências das redes sociais?

Autor: Robert Hewson
Fonte: InformationWeek EUA Publicado em 30 de Março de 2012 às 10h16

Antes de saltar sobre o bonde e potencialmente interromper a cultura da sua empresa, seria sensato analisar fundamentalmente o que são as redes sociais e as prováveis consequências de instalá-las

A mídia social pode ajudar a desbloquear o conhecimento inerente do seu negócio cultural? As redes sociais corporativas estão movimentando o mundo dos negócios, cada vez mais as empresas estão abraçando a revolução social. O argumento é simples ? os sistemas de comunicação corporativa, como os emails, estão desatualizados e devem ser substituídos por um software que funcione melhor, com as redes sociais que as pessoas usam em suas vidas cotidianas. As redes sociais corporativas nos ajudam a colaborar, socializar e compartilhar conhecimentos de forma mais eficaz do que antes e, consequentemente, ajudam as empresas a desbloquearem o conhecimento inerente incorporado em sua cultura. No entanto, antes de saltar sobre o bonde e potencialmente interromper a cultura da sua empresa, seria sensato analisar fundamentalmente o que são as redes sociais e as prováveis consequências de instalá-las. Para fazer isso, é útil considerar as redes sociais de baixo para cima, começando logo no início com a questão mais fundamental: o que motiva as pessoas? 1. Somos colaborativos por natureza Todos nós somos guiados na vida por impulsos universais que têm surgido ao longo da evolução humana. Baseado nos instintos básicos de sobrevivência Darwinian nós desenvolvemos camadas de comportamentos cada vez mais abstratas. Começamos a formar pergrupos sociais, começamos a trabalhar em colaboração para objetivos comuns e temos perseguidos as tecnologias mais sofisticadas, o nosso cérebro inchou e o nosso sucesso como espécie disparou. Muitos especialistas concordam que a nossa vantagem evolutiva foi a nossa capacidade de colaborar para objetivos comuns, como Michael Tomasello aponta em seu livro "Por que cooperar?: ?Todos os seres humanos tem realizações cognitivas impressionantes - a partir de tecnologias complexas para símbolos linguísticos e matemáticos para instituições sociais - são os produtos não de indivíduos isolados, mas de indivíduos que interagem ". Somos animais sociais e nós amamos trabalhar juntos para realizar as coisas. Também gostamos de pertencer a culturas, grupos sociais e instituições. Evoluímos em grupos sociais para o benefício mútuo e somos impulsionados para alcançar e se conectar a outras pessoas. 2. Nós somos conformistas subconscientes Nossa cultura é a nossa sociedade, é o que a nossa personalidade é, a nossa mente; isso define a metodologia que seguimos, a fim de perseguir os comportamentos e instintos que todos nós compartilhamos como seres humanos. A neurociência moderna está começando a ilustrar que uma grande parte do nosso comportamento é gerida ou, pelo menos, instigada por nosso subconsciente do que nossa mente consciente. Somos conformistas automáticos que se adaptam aos nossos comportamentos, gestos e uso da linguagem para corresponder às normas sociais dos grupos que fazem parte da cultura que estamos impelidos. O mesmo acontece com a cultura de uma empresa, as pessoas vão trabalhar dentro da metodologia que promovem (mesmo que reclamem) e suas percepções começarão a se alinhar com o resto do mundo, que está sendo puxado em direção a um centro cultural de gravidade. 3. Somos conectados Evoluir uma metodologia eficaz não é o único propósito de uma cultura. Como eu brevemente discuti no meu artigo anterior, a cultura é também um repositório de conhecimento, a informação compartilhada pela nossa cultura é muito maior do que qualquer indivíduo pode possuir. Nós navegamos pela vida constantemente através das redes culturais que nos rodeiam e aproveitamos sempre uma ou outra realização e conhecimento. 4. Operamos através da cultura e da tecnologia Se a cultura fornece a metodologia e a experiência para perseguirmos nossos instintos evoluídos, então a tecnologia nos dá as ferramentas. A tecnologia não consegue alterar o nosso comportamento, que sucede, permitindo-nos a prosseguir os nossos comportamentos de forma mais eficiente e mais eficaz do que antes. De vez em quando um novo pedaço de tecnologia vem ao longo do qual aumenta drasticamente a nossa capacidade de perseguir o comportamento humano. A imprensa, o telefone, o automóvel e todos mudaram o mundo. A cultura se põe como uma interface entre a tecnologia e o comportamento humano, que define metodologias e conhecimentos para usar o antigo para perseguir o futuro. O que isso tudo significa para redes sociais corporativas? O estonteante sucesso do Facebook e do Twitter e seu impacto no mundo representa a arma fumegante da metamorfose cultural em andamento, e não há nenhuma razão para suspeitar que o mundo dos negócios estará imune. A rede social corporativa é uma metodologia para aumentar a cultura de sua empresa, reduzindo significativamente o tempo, espaço e a resistência sócio-psicológica. Ela também permite que conhecimentos sejam incorporados, compartilhados e transmitidos através de sua cultura empresarial de forma mais eficaz do que antes, então as pessoas podem acessar conhecimentos mais facilmente e mais por acaso. No entanto, a transição pode ser turbulenta se exigir um significativo realinhamento do centro cultural de gravidade da sua empresa. As pessoas vão precisar se adaptar a novas normas sociais e convenções, e a racionalidade da mudança de metodologia pode ser ofuscada pelo viés do grupo cultural por rotinas estabelecidas no curto prazo. Evoluir a cultura é natural e saudável, mas a revolução pode ser dolorosa e sangrenta. Pode ser inevitável que as redes sociais da empresa mudem a forma como fazemos negócios, e você seria sábio, pelo menos, se fizesse uma preparação para a transição. No entanto, antes de mergulhar, certifique-se de compreender as consequências potenciais para a cultura da sua empresa, porque é o ativo mais valioso que o seu negócio tem.
Tags
Nenhuma tag cadastrada
Comente e compartilhe sua opinião com nossa comunidade!

Últimas notícias