Blogs   ››   Xandó: Avaliações e Opiniões
REVIEW

Desvendando a autonomia da bateria do Asus Zenfone 5

Flavio Xandó Publicado em 23 de Outubro de 2014 às 16h34

Exame detalhado da duração da bateria - surpreendentes revelações e dicas importantes

O smartphone ASUS Zenfone 5 (5 polegadas de tela) foi oficialmente lançado no Brasil na semana passada (15/10/2014). Já fez história. Falando muito brevemente é um dispositivo sofisticado em seu design, na sua proposta e em seus recursos. E chegou com uma condição de preço bastante agressiva, ou seja, boa para o consumidor. Teve promoção de lançamento de seu modelo de entrada por R$ 499 (com processador dual core de 1.2 Ghz e 8 GB armazenamento interno). Mas essa promoção esteve em vigência apenas enquanto durou o estoque inicial e este aparelho de entrada está agora sendo vendido por seu preço regular de R$ 599 (pode ser encontrado na loja online da ASUS – http://loja.asus.com.br ou no varejo). 

Os outros modelos são com processador dual core de 1.6 Ghz e 8 GB de armazenamento interno por R$ 649 e o mesmo aparelho com 16 GB de armazenamento interno por R$ 699. Aliás nem precisaria citar, mas há slot para cartão de memória micro SD que permite adicionar até mais 64 GB armazenamento por preço justo (ao contrário da extorsiva política comercial dos iPhones).

Se você tem interesse em saber mais sobre o Zenfone 6, modelo de 6 polegadas da Asus basta clicar no texto "Asus Zenfone 6, mais que um Zenfone 5 vitaminado".

Este texto está “de ponta cabeça”, começando informando sobre disponibilidade, modelos e preços. Mas teve que ser assim porque o que me interessa de fato contar aqui é a minha experiência de uso com o Zenfone 5 e tudo que descobri em relação às suas características e sua autonomia de bateria. Eu o estou usando diuturnamente há um mês e por isso tenho bastante para falar de minha experiência. Vamos começar cumprindo as obrigações protocolares, ou seja, descrevendo suas principais características e especificações. Depois vamos às considerações e experiência de uso e às descobertas relativas à bateria.
   
  • Sistema Operacional: Android 4.3 (já atualizável para 4.4 e futuramente Android 5.0)
  • Processador Intel Atom Z2560 de 1.6 Ghz dual core HT (4 threads) com 1 MB de cache
  • Memória RAM de 2 GB (muitos smartphones têm 1 GB apenas)
  • Memória de armazenamento 8 GB (mais slot para cartão micro SD até 64 GB)
  • Tela de 5” tecnologia IPS resolução 1280x720 Gorilla Glass 3
  • WiFi 802.11 b/g/n de 2.4 Ghz
  • Rede 3G+ HSPA+ transferência de dados até o limite teórico de 42 Mbps
  • Dual SIM (aceita 2 chips de operadoras) formato micro SIM
  • Câmara frontal de 2 MP, câmera principal de 8 MP
  • Bluetooth 4.0
  • Conectores MicroUSB e fone de ouvido P2
  • Bateria de 2050 mAh (não removível)
  • Peso 140 gramas e dimensões 148.2mm x 72.8 mm  x (5.5mm a 10.3 mm – curvo)
       
Muito já se falou em diversos veículos de imprensa, sites, etc. Mas antes de falar da bateria vou explorar outros pontos importantes devem ser ressaltados.


Usando o Zenfone 5 no dia a dia – minhas impressões
   

Sou um usuário um pouco diferente. Vinha usando há muito tempo os smartphones Z10 e Z30 da empresa Blackberry, muito satisfeito, diga-se de passagem. Minha experiência com Android era relativamente restrita em situação de uso de dia a dia porque os outros aparelhos Android que testei não me seduziram a abandonar os aparelhos do fabricante Blackberry (apenas os testava por algum tempo e os devolvia).

A ASUS realizou cerca de 1000 modificações na versão de seu Android. Algumas imperceptíveis aos olhos, outras muito evidentes. A começar pelo que é chamado de ASUS UI (User Interface). Desde a tela de descanso do smartphone, na qual se pode ver informações essenciais como data, hora, quantidade de mensagens pendentes, próximos compromissos, nível de sinal da(s) operadora(s) de celular (relembro que ele é dual SIM), etc.
  

figura 01 – interface inicial

Algo que sempre foi o meu sonho pude realizar com este smartphone. Funciona extraordinariamente bem o sistema de ditar e-mails, SMSs, mensagens de WhatsApp em vez de digitar. Testei isso em outros dispositivos com sucesso parcial. Mas no Zenfone isso é uma realidade!! E não estou falando de mandar mensagens de voz e sim de transcrever o que eu falo em caracteres, sem erros para o aplicativo em uso!!

A presença do inovador processador Intel Atom Z2560 com GPU (sistema gráfico) embutida é o responsável pelo desempenho fluído, sem “engasgos” ou tempo de espera ao chamar aplicações do smartphone ou execução de jogos e vídeos. Segundo a ASUS e a Intel este processador também o responsável pela ótima durabilidade da bateria (vamos discutir isso com detalhes mais adiante).

Algumas cores diferentes estão disponíveis para compra inicial ou mesmo as capas podem ser adquiridas como acessórios permitindo que seu dono varie o telefone de acordo com seu humor ou personalidade.

Sua tela de 5 polegadas é composta pelo consagrado e resistente material Gorilla Glass 3, com resolução de 1280x720 pixels (a saber é a resolução HD de certas TVs de telas bem maiores), capaz de ser visualizada a partir de um ângulo de 178 graus. O tempo de resposta ao toque é de 60 milissegundos (virtualmente instantâneo) e pode ser usada também por pessoas usando luvas em dias frios.

Além disso existe um prático “modo de leitura” que ao ser acionado muda as cores do fundo e ajusta o contraste de tal forma a mimetizar a experiências de “ler no papel”. Isso proporciona menor cansaço visual principalmente se a leitura for feita por longos períodos. Por fim há um revestimento “anti finger print” que minimiza as marcas de dedos na superfície da tela.
 
  
figura 02 – Zenfone 5 – branco e preto
 
figura 03 – uso com luvas
     
A câmera (ou as câmeras) receberam atenção bastante especial por parte da ASUS uma vez que atualmente a imensa maioria das fotos feitas pelas pessoas são capturadas usando smartphones. Foi bastante aprimorada a capacidade de tirar fotos em ambientes com pouca luz. Seja pelo uso do flash de led, ou pelo inovador modo que consegue capturar fotos em ambientes praticamente sem luz alguma. Isso graças à tecnologia Pixel Merging que aumenta 400% a sensibilidade à luz e reduz em 200% o nível de “ruído” (efeito adverso da pouca luz) e aumentando o contraste. Simples assim. Depois que vi este recurso no evento de lançamento na semana passada fiquei um chato na minha casa tirando foto de tudo e todos no escuro. Desde meus filhos até latas de ervilha na dispensa foram fotografadas praticamente no escuro. Não é um artifício de marketing! FUNCIONA!!! A câmera principal de tem 8 MP e a frontal (aquela para selfies) tem 2 MP.
   
  
figura 04 – alta sensibilidade em baixa iluminação (clique para ampliar)

Um recurso que eu adorava no Z10 e Z30 o ASUS traz para o mundo Android, que é denominado “Time Rewind”. Se capturar uma expressão ou momento especial é difícil, o Zenfone 5 faz uma sequência de fotos e depois como se rebobinasse um filme pode escolher o momento exato que deseja capturar dentre 31 fotos capturadas em 3 segundos e desprezar as outras várias fotos de forma muito simples. Estabilizador de imagens, “Turbo Burst” (para capturar fotos de ações muito rápidas) e o interessante “Selfie Mode” (usando a câmera principal) é fantástico. O usuário define o número de faces a ser fotografadas e quando o Zenfone identifica estas pessoas tira a foto sozinho. Na verdade já tira 3 fotos de uma vez só para que a melhor possa ser escolhida. São 18 modos de uso da câmera que permitem efeitos e tratamentos especiais e aplicados em diversas situações como : noturno, self-shot, profundidade de campo, panorama (juntar várias fotos), miniatura, HDR (high dynamic range), etc.
  

figura 05 – selfie mode usando câmera de alta resolução

A conectividade (celular) do Zenfone 5 é proporcionada por até 2 chips, ou seja, dois números distintos. Se a linha 1 estiver em uso, uma eventual ligação na linha 2 é automaticamente desviada para a caixa postal. A conexão é 3G, ou melhor, o padrão HSPA+ (H+) que tem um nível teórico de desempenho de 42 Mbps. Mas isso é bem teoria mesmo. Usando este aparelho e mesmo outros com capacidade H+ nunca obtive mais que 5 ou 6 Mbps (que a propósito é bastante rápido e bastante adequado). O Zenfone não é 4G por opção de projeto, para que o custo fosse mantido em um nível competitivo e ainda assim fosse rápido o bastante. Uma opção de custo-benefício estratégica para ASUS. Também justificado pela atual baixa penetração de 4G no país. Segundo a ASUS o Zenfone dispõe de um sistema de dupla antena que proporciona um ganho de até 5dB em relação aos concorrentes. Falando de forma prática significa que com maior sensibilidade, perda de sinal é mais rara no aparelho mantendo conexão em situações que outros perderiam comunicação.
 
figura 06 – melhor recepção com sistema de dupla antena

Voltando a falar do ZENUI há dois aspectos, entre tantos, que merecem o meu destaque. O “what´s next” que mostra na tela inicial todos os compromissos a seguir e o “To Do”, ou seja, ou tarefas que estão pendentes. Estas “tarefas” são e-mails que chegaram, retorno de ligações que não foram atendidas, interações com redes sociais, páginas visitadas, etc. que são marcadas para serem vistas com calma depois. Isso é extremamente prático, pois normalmente nunca mais olhamos para aquilo que deixamos de lado “para outra hora”. Estas importantes visualizações estão disponíveis na tela inicial, na tela de bloqueio e no aplicativo específico, como preferir o usuário.

figura 07 – Tela do “what´s next” (clique para ampliar)

Preciso falar do Open Cloud presente no ZENUI. Permite interação com sistemas de armazenamento em nuvem a começar pelo ASUS WebStorage (5 GB gratuitos) e além disso Google Drive, Dropbox, Microsoft OneDrive, Home Cloud, etc. Assim o usuário pode definir o tipo de informação que será gravado na memória do aparelho (ou micro SD) ou na nuvem escolhida. Fiz o teste com Google Drive e OneDrive com sucesso!! Backup instantâneo e automático, por exemplo, das fotos tiradas com o Zenfone.

Por fim o Zenfone tem algumas aplicações de conectividade muito úteis e importantes.

PCLINK – permite que o smartphone seja controlado por um aplicativo no computador transportando a tela do Zenfone para o PC. Permite rodar todos os programas na tela do PC, usar o conforto do teclado grande e mouse, bem como usar programas como WhatsApp na tela do computador.

SHARE LINK – permite compartilhar arquivos com outros aparelhos de forma rápida, fácil e não precisa de conexão com a internet. Transfere em velocidade de até 32 Mbps.

REMOTE LINK – transforma o Zenfone em um dispositivo sem fio de controle do PC, por exemplo, muito útil para ser usado para comandar apresentações, avançar, retroceder slides, etc.

SHARE LINK – super divertido e interessante. Ao tirar uma foto a mesma é compartilhada mesmo sem Internet instantaneamente com todas as pessoas (próximas) de um grupo pré definido.


figura 08 – PCLINK controlando o meu próprio  Zenfone 5


A dura experiência com a duração da bateria, mas com final feliz!!
 
Finalmente vamos ao assunto que me propus a tratar neste texto. Acabei me animando e repassando as características que mais me chamaram a atenção. Vamos ao que interessa. Como se comporta a bateria do Zenfone 5 no dia a dia???

Praticamente com todas pessoas que converso ouço queixas do tipo “meu smartphone acaba a bateria antes do dia acabar” ou “tenho que fazer uma carga extra de tarde para poder usá-lo o dia todo”. Isso tem se tornado mais crítico. Será que os smartphones estão “piorando”?? De forma alguma. É evolução atrás de evolução, geração após geração!! O que tem mudado, na minha forma de ver é o modo de uso do smartphone. As pessoas o utilizam cada vez mais. Vejo por mim mesmo. Muitas vezes sentado na frente do meu PC acabo preferindo ler e-mails novos no smartphone... A intensidade de interação com redes sociais é cada vez maior. Consumimos cada vez mais informações nos dispositivos móveis, usamos mais e mais a câmera fotográfica do dispositivo. E como consequência a durabilidade da bateria foi afetada pelo crescimento da interação.

Voltando para o Zenfone 5, a parceria da Asus com a Intel foi extremamente estratégica! A Intel jamais entrou em um segmento de mercado apenas para participar. Ela entra para liderar a vanguarda da tecnologia e ser o principal participante do mercado. Verdade seja dita que a entrada no segmento de mobilidade foi um pouco depois do que poderia ter sido feito. Mas atualmente, seja pela participação no mercado de smartphones e tablets, bem como no nascente mercado de IoT, ou seja, a Internet das Coisas (Internet of Things), o acelerador da evolução da Intel está cravado no fundo.

O processador de um smartphone não é o único elemento responsável pelo maior ou menor consumo de energia. Existe a tela, a comunicação via rádio (3G, 3G+, WiFi, Blutooth, etc.). Mas não há dúvida de que sem um processador competente como o Intel Atom Z2560 o Zenfone não teria a mesma qualidade nesta área.

Decepção inicial: ao contrário de depoimentos de várias pessoas que conheço, minhas primeiras utilizações do Zenfone 5 foram decepcionantes no quesito duração de bateria. Havia dias que começava a usar 8:30 da manhã e antes das 02:00 da tarde a bateria estava acabando. Apenas 6 horas de uso!! Será que isso estava certo?? Interagi com o suporte da Asus e recebi várias dicas importantes:
    
  • Ativar o sistema de gerenciamento de energia do Zenfone e escolher o modo “Otimizado” ou “Ultra Econômico” (veja na figura 09).
  • Utilizar o “brilho automático” para controlar a intensidade luminosa da tela (só ter brilho forte gastando mais energia em ambientes externos).
  • Não selecionar sincronização automática de e-mails mais constante sim o padrão que é de 15 em 15 minutos.
  

figura 09 – opções para conservação da energia

Com estas dicas obtive progressos. Mas ainda não obtinha autonomia que julgava apropriada ao aparelho. Mais uma vez falei com a Asus, por meio do brilhante e atencioso Rafael Rigues, amigo de tanto tempo que por lá está agora e mais uma descoberta foi feita. Um dos meus e-mails é em servidor Microsoft Exchange que por sua vez tem um sistema de “push” instantâneo, mas que pode ser configurado para um modo de “horáro de pico”. Obtive mais progressos, mas ainda não conseguia usar o smartphone o dia todo sem recargas. Houve dias que precisei usar TRÊS “power banks” (aquela engenhoca que carrega a bateria do telefone por meio de uma bateria portátil que se recarrega via USB).

Eu estava na contramão. Todos elogiando bastante a forma espartana que o Zenfone consome sua bateria enquanto eu me sentia um “sem energia”. Explorando um pouco mais as telas de configuração do Zenfone 5 achei algo que foi surpreendente!! Veja a figura 10 abaixo.


figura 10 – descobrindo o vilão – o gastador de energia

Que coisa impressionante!! Em apenas algumas horas de uso o fantástico e indispensável WAZE (navegador GPS inteligente que planeja rotas pelo menor tráfego de forma online) tinha sido responsável por gastar 75% de toda a bateria do smartphone!!!! Isso porque eu apenas dirigira por 1 hora e 10 minutos. Eu sabia que o WAZE era um aplicativo que por trabalhar com a tela, GPS e canal de dados (troca de informações) ligados todo o tempo, era um bom consumidor de energia. Mas não tinha ideia de que era nessa incrível proporção e intensidade!!

Por isso eu resolvi isolar cada componente, estudar as diferentes formas de uso do Zenfone e produzi as informações contidas na tabela abaixo (figura 11). Basicamente eu pendurei um cronômetro no pescoço (esses usados em pistas de corrida) e comecei a cronometrar e analisar o percentual de uso (na verdade quanto restava de carga no aparelho) em diferentes situações. Eu sempre carregava a bateria do Zenfone até 100%, disparava o cronômetro e o retirava do carregador Isso feito usava (no específico modelo de uso) até que a carga chegasse a 50%. Dessa forma pode ser estimada a autonomia nas diferentes situações.


figura 11 – diferentes formas de uso e respectivas autonomias projetadas
   
Como pode ser visto, utilizando o WAZE a autonomia projetada é da 2 horas e 40 minutos aproximadamente (2,6 horas). O modo “típico com WiFi” consiste de manter o Zenfone 5 conectado no WiFi para tráfego de Internet e o “típico” significa a cada vez que um aviso de recepção de mensagem surgia eu ativava a tela, conferia a mensagem e eventualmente a respondia, bem como se o telefone tocasse, atendia a chamada. Nessa condição a autonomia projetada foi de 14 horas e 40 minutos aproximadamente (14,7 horas). O terceiro cenário foi igual ao anterior, porém com o WiFi desligado e todo o tráfego de Internet fluindo pela conexão da operadora (no caso VIVO) e em 2G (EDGE) porque justo no local onde eu me encontrava quando fiz este teste só havia sinal 2G. Sincronização de e-mails e redes sociais estavam ligados e bluetooth desligado.

Ainda tive a curiosidade de analisar a capacidade de uso do Zenfone em modo “stand-by”, ou seja, igual ao teste anterior com o WiFi ligado, mas sem fazer qualquer interação com o Zenfone 5. Se ele apitava ou vibrava ao receber uma mensagem eu não interagia com ele, a tela permanecia desligada e obviamente sem teclar nada. Nesta situação a autonomia projetada foi de 88 horas e20 minutos (3 dias 16 horas e 20 minutos). Repetindo o teste porém com a sincronização de e-mails e redes sociais desligada a autonomia projetada foi de 95 horas (3 dias e 23 horas). Neste cenário não testei com o WiFi desligado. Na figura abaixo eu repito os dados da tabela anterior e incluo os dados de autonomia projetada em “stand-by”.


figura 12 – diferentes formas de uso e respectivas autonomias projetadas (com stand-by)
 
Olhar estes números permite tirar conclusões importantes. Algumas óbvias e outras mais sutis. O WAZE é um moedor de bateria. Como eu devo dirigir perto de 2 horas por dia acaba por restar apenas 20% para todas as outras atividades do Zenfone. Por isso que tive uma primeira impressão muito negativa. Por outro lado quase 4 dias em stand-by, ainda recebendo e-mails e outras atualizações é algo fantástico!! E entre 11 e 15 horas em regime de uso típico (sem WAZE) é também muito bom!! Destaco que na especificação da ASUS eles citam 10 horas de duração. Meu modelo de uso típico deve ser ligeiramente mais leve.

Mas se um leitor me perguntasse “no meu caso quanto tempo posso contar com o Zenfone?”, a resposta seria um imenso DEPENDE!! Veja que entre o stand-by (92 horas em média) e “uso típico” (13 horas em média) há um lapso de tempo MUITO GRANDE. Isso significa que o Zenfone 5 (e todos os smartphones) são muito sensíveis ao tempo que é usado digitando, lendo conteúdo, trafegando dados na Internet (via WiFi ou operadora)... O MEU uso típico se encaixa perfeitamente nas 13 horas em média que o Zenfone consegue operar. Se você tem um Zenfone 5 e fizer o mesmo teste que eu, possivelmente obterá outros valores, mas não espero que sejam escandalosamente diferentes, mas não acredito que muito diferente das 10 horas divulgadas pelo fabricante.

Mas uma lição eu aprendi com isso tudo. Como uso o WAZE com muita frequência tenho sempre comigo na minha mochila, pelo menos 2 ou 3 “power banks”, aquelas baterias portáteis de emergência para usar o smartphone com o WAZE ou recarregá-lo após o tempo na frente da direção do meu carro. Não tem milagre!! Tem que ser assim.

Conclusão

Muito resumidamente o ótimo preço e o vasto conjunto de características muito positivas são destaques do Zenfone 5. A durabilidade da bateria é bastante satisfatória permitido que uma jornada de trabalho seja realizada em regime de uso normal sem precisar de recarga (entre 10 e 13 horas). Mas se aplicativos como o navegador Waze forem usados, recargas frequentes precisam ser feitas. A ASUS fez grande esforço para também prover uma câmera fotográfica de alta qualidade e foi feliz nesta ação também. Impulsionado pelo processador Intel Atom, sistema operacional Android 4.3 (mas já disponível o Android 4.4), com atualização futura recém anunciada para Android 5.0.

O processo de atualização do Android é extremamente simples, estilo “Windows Update” disparado pelo próprio usuário. A interface denominada ZENUI com inúmeras alterações do Android padrão trouxe agilidade e produtividade. Pude conferir e constatar isso.

Algo que é muito sintomático, bastante significativo é o fato de eu ainda estar usando o Zenfone 5 e não ter retornado para o Z10 ou Z30 de que tanto gosto. Isso tem real significado. Será definitivo!!!???

Se você tem interesse em saber mais sobre o Zenfone 6, modelo de 6 polegadas da Asus basta clicar no texto "Asus Zenfone 6, mais que um Zenfone 5 vitaminado".


figura 13 – visão geral da interface do ASUS Zenfone 5 (clique para ampliar)


figura 14 – características gerais (clique para ampliar)







Tags
Nenhuma tag cadastrada
Comente e compartilhe sua opinião com nossa comunidade!

Sobre o blog

Blog do Xandó

Top mais lidas


Top posts comentados