Home > Notícias

5 CEOs que já comeram muita poeira antes do sucesso

Descarregar caminhões, ser a "melhore recepcionista da história" e juntar grana para a faculdade; confira histórias inusitadas de CEOs.

Wellington Arruda

02/08/2019 às 15h24

Foto:

Todos nós temos que começar de algum lugar. Tenha você conseguido atingir suas metas profissionais ou ainda esteja lutando por elas, este é, basicamente, um consenso.

As jornadas nem sempre são as mais fáceis e bonitas do mundo, já que você precisa ter confiança, planejamento e humanidade para entender as oportunidades. E elas são sempre divididas em etapas, o que naturalmente traz conhecimentos diversificados.

Se você precisa de alguma inspiração, aqui vão cinco CEOs que começaram bem do comecinho – eu sei, redundante, mas não é uma afirmação falsa.

Doug McMillon, do Walmart

Em 1984, Doug McMillon trabalhou no setor de distribuição do Walmart descarregando caminhões. Ele aceitou o emprego, que pagava US$ 6.50 por hora, para juntar dinheiro para a sua faculdade.

Na época, ele era estudante do ensino médio e depois foi para a University of Arkansas. Depois de anos, voltando a trabalhar no Walmart, ele passou para a cadeia de compras – navegando nas categorias de artes, pesca, fraldas, artesanatos e outras.

Mas foi em 2014 que McMillon se tornou CEO da empresa. E pensar que ele quase foi para o Mc Donald's no ensino médio é bem interessante.

Robert "Bob" Iger

Bob Iger já foi o "homem do tempo" (meteorologista, no caso) em uma estação de notícias em Ithaca, onde começou a sua carreira, lá em 1973. Depois, passou para o cargo de supervisor de estúdios da ABC, que pertence à Walt Disney Company desde 1996.

E quando ele assumiu o cargo de CEO na Disney? Em 2005.

Em entrevista ao New York Times, em 2009, ele disse: "O que eu aprendi ao longo do tempo é que o otimismo é uma parte muito importante da liderança".

Ilene S. Gordon

Ilene se aposentou do cargo de CEO da Ingredion em 2017, mas o assumiu em 2009. Na década de 70, ela trabalhou no BCG (Boston Consulting Group) como consultora e era a única mulher no escritório.

Ela cita que "alguns colegas tinham uma atitude desdenhosa" ao seu respeito, mas depois de uma apresentação conseguiu impor que o seu trabalho era muito valioso, acima de qualquer suspeita das pessoas ao redor.

Ela também comentou que recusou oportunidades, e que permanecer devota ao trabalho e família "significava desistir de algumas outras coisas, como uma vida social ativa e, frequentemente, noites de sono".

Chris Rondeau

A Planet Fitness contratou Chris Rondeau em 1993, enquanto ele estava na escola, para um trabalho de meio período. Um ano depois, ele já estava trabalhando full time por lá. Ele passou da recepção para personal trainer, depois para gerente de loja e, então, gerente regional.

Mas foi em 2003 que os fundadores o convidaram para ser parceiro, no início das franquias. Nessa época, ele era COO (chief operating officer).

Chris se tornou CEO da empresa em 2013, e compara sua carreira na Planet Fitness como os diferentes níveis de escolaridade.

Karen Kaplan

Karen Kaplan já passou por 16 cargos da agência de marketing Hill Holliday. O primeiro deles foi em 1982, de recepcionista. Assim como McMillon, ela estava juntando uma grana para a faculdade, mas acabou subindo "alguns" degraus da empresa.

Mas, claro, isso não aconteceu em um período tão curto de tempo. Nestes 37 anos na Hill Holliday, ela se tornou CEO em 2013, quase 30 anos depois.

À Fortune, ela disse que se aproximou do cargo porque, lá no começo, queria ser a melhor recepcionista da história.

Via: Kiplinger, Business Insider.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail