Home > Notícias

5 dicas sobre como a criptografia pode proteger seus arquivos

Tecnologia é a principal aliada para garantir que dados confidenciais não sejam interceptados

22/12/2017 às 10h02

Foto:

Computadores pessoais e corporativos armazenam grandes quantidades de informações, que podem gerar transtornos se caírem em mãos erradas. O roubo de documentos e fotos tem-se tornado frequente e trazido muita dor de cabeça para as vítimas. Contar com um sistema seguro é primordial para proteger nossa privacidade. Por isso, ter uma unidade de armazenamento com criptografia pode ser essencial.

Mas, o que é criptografia? É o suficiente para proteger uma máquina? Essas são algumas das perguntas respondidas pela Micron Technology, empresa líder em fabricação de memórias. O diretor de vendas para América Latina e Caribe, Ricardo Vidal, esclarece cinco principais dúvidas dos usuários.

1. Como funciona a criptografia de dados?

A criptografia é uma ferramenta que, por meio de algoritmos matemáticos e derivados de maneira aleatória, permite converter informações ‘abertas’ em dados cifrados, que só podem ser desbloqueados com a mesma combinação gerada previamente pelo disco de armazenamento.

“Todos os arquivos, rotas de acesso, sistemas operacionais e softwares ficam protegidos por um código que impede acessos indesejados”, explica Ricardo Vidal.

2. Todos os discos de armazenamento contam com esse sistema?

O disco rígido (HD) é composto por vários discos unificados, por um mesmo eixo que gira em uma grande velocidade. Por não terem a criptografia incorporada, os usuários que queiram utilizar essa função em seus HDs, precisam instalar uma ferramenta separadamente.

Hoje, alguns discos de estado sólido (SSDs) disponíveis no mercado já vem com o sistema de criptografia incorporado. “Além de conter essa ferramenta em todos os dispositivos, a linha Crucial também é compatível com programas que requerem encriptação em seu funcionamento. É algo que nem todos os SSDs do mercado tem incluso”, analisa Vidal.

3. Existem diferente níveis de criptografia?

Não se trata apenas de criptografar os dados. Essa proteção também abrange distintas áreas do equipamento e se divide da seguinte maneira: arquivos e rotas de acesso; sistemas operacionais e sistemas de arranque. A encriptação pode ser feita de maneira parcial ou completa. Quando engloba todas as áreas, o processo se chama Criptografia Completa do Disco (do inglês, FDE - Full Disk Encryption), sendo o método mais seguro.

4. Senhas, reconhecimento facial, impressão digital, credenciais…

Existem métodos distintos para proteger os arquivos e sistemas operacionais dos dispositivos que contam com a criptografia. Os mais avançados podem ser feitos com identificação biométrica, impressão digital ou cartões virtuais, mas em casos de usuários finais a forma mais tradicional para proteger seu computador é com senhas.

Mesmo a criptografia sendo um método seguro, é necessário contar com uma contrassenha que seja difícil de decifrar. A recomendação é usar senhas extensas, compostas (com números, letras e símbolos) e fugindo do básico, já que formas simples podem ser descobertas por hackers em poucos minutos.

5. Contar com um disco encriptado é o básico para proteger seu computador

Contar com um SSD com sistema de criptografia é uma barreira importante diante a um ataque externo ao seu equipamento. A Micron enfatiza que esta é só uma parte quando se trata de evitar o extravio de informações. Por isso que, mais do que o disco, a recomendação de especialistas é contar com um antivírus que esteja sempre atualizado, trocar as senhas constantemente e ter um respaldo (seja uma nuvem ou um disco externo). Com essas práticas, o usuário poderá ficar tranquilo sobre os dados salvos.

 

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail