Home > Notícias

5 setores e suas tendências tecnológicas para 2019

Descubra o que estará em alta no setor de acordo com os diretores das Verticais de Negócios da Associação Catarinense de Tecnologia e empreendedores

Redação

16/01/2019 às 10h14

5 setores e suas tendências tecnológicas para 2019
Foto:

O último ano foi marcado por grandes investimentos em startups brasileiras. O crescimento das fintechs, do uso de inteligência artificial e realidade aumentada foram tendências no ano que passou, mas qual a previsão para 2019? Os diretores das verticais da Associação Catarinense de Tecnologia (ACATE) e outros especialistas compartilharam conosco o que está por vir.

Agronegócio

Para Clóvis Rossi, diretor da vertical agronegócio da ACATE, o Smart farming continua em alta em 2019, graças à popularização das tecnologias e a ampliação da infraestrutura de conectividade no campo. A agricultura fica mais conectada a cada ano e os dispositivos IoT ajudam o fazendeiro a monitorar a safra e otimizar recursos, enquanto tecnologias de mapeamento, rastreabilidade, Inteligência Artificial, Big Data e Analytics apresentam alternativas para um plantio sustentável.

Para Bernardo de Castro, presidente da divisão de agricultura da Hexagon, mais do que o aumento da aplicação isolada de tecnologias de ponta no campo, o que se espera em 2019 é o uso de soluções que conectam, sincronizam e otimizam todos os processos agrícolas.

“Um dos maiores desafios é a fragmentação e o engessamento dos sistemas tecnológicos. Há muitas tecnologias que não se conversam e processos que não interagem da melhor maneira, comprometendo os resultados. Como toda indústria, o campo precisa de processos integrados e eficientes para produzir mais com menos. Na Hexagon, desenvolvemos soluções digitais completas, que vão desde o planejamento para o cultivo até a colheita e o transporte de matéria prima.”

Manufatura

A mudança das relações de trabalho é a grande tendência da manufatura. A interação do homem com a máquina deve ser cada vez mais comum, “tarefas que hoje oneram o ser humano por serem pesadas e repetitivas para o corpo humano levarão inevitavelmente a adoção de dois tipos de Robôs: os autônomos e os colaborativos. Será cada vez mais comum o homem trabalhar em contato direto com estes dois tipos de robôs em uma espécie de simbiose”, comenta Túlio Duarte, diretor da vertical manufatura da ACATE.

O trabalhador também muda, “o empoderamento de pessoas capazes de entender como a informação no processo produtivo ajuda na ágil tomada de decisão e são capazes de operar as novas e complexas soluções de robôs, inteligência artificial, big data etc. para extrair destas soluções as melhores decisões levando ao processo de manufatura os benefícios e melhorias que irão aumentar o patamar de produtividade e competitividade da indústria”, completa.

Saúde

Ferramentas e equipamentos eletrônicos que monitoram a saúde são tendência para 2019. As empresas já identificaram isso e estão se atualizando. Recentemente a Apple implantou no seu watch um eletrocardiograma capaz de detectar as atividades do coração. Outros dados que podem ser obtidos por meio destes equipamentos, chamados também de wearables, estão relacionados a número de passos percorridos, batimentos cardíacos, calorias consumidas, informações sobre o sono e até mesmo pressão arterial. A coleta, armazenamento e análise desse tipo de dado pode auxiliar em avaliações médicas e até servir como suporte ao diagnóstico precoce de eventuais problemas de saúde.

No Brasil, a GoGood promove este monitoramento de dados com uma tecnologia que ajuda na prevenção da saúde e de doenças crônicas como diabetes e sobrepeso. Por meio da integração de diversos aplicativos de saúde - como Strava, RunKeeper, HealthKit, FitBit etc, a plataforma estimula os usuários a atingirem metas e resultados com o desenvolvimento de hábitos mais saudáveis. Entre os resultados alcançados pelos usuários está a perda de até 6% de
massa corporal em seis meses de uso da plataforma e 122% de crescimento da média de atividades físicas praticadas.

“A tecnologia é hoje uma grande aliada da prevenção da saúde. Seja por meio de wearables ou aplicativos online, é possível registrar dados fundamentais que buscam não somente melhorar a qualidade de vida e os hábitos de seus usuários, mas revolucionar a prática da medicina em si, atuando na prevenção e não somente no tratamento de doenças”, declara Bruno Rodrigues, CEO da GoGood.

Educação

As ferramentas digitais estão tornando a absorção do conhecimento mais flexível, lúdica, dinâmica e efetiva, e são tendência, segundo Antônio Gonzaga, diretor da Vertical Educação da Associação. Em 2019, experiências imersivas proporcionadas pela Realidade Aumentada e Realidade Virtual continuarão em alta, assim como o Game Thinking, tecnologia que traz o lúdico e trabalha aspectos como colaboração, competição, superação e recompensa.

Outras tendências fortes, segundo Luiz Alberto Ferla, CEO e fundador do DOT digital group, são o Microlearning e o Mobile Learning, conteúdos apresentados em “pílulas” de aprendizado via celular. “Em 2019, a educação será cada vez mais portátil, personalizada e onipresente. A aprendizagem estará nas mãos dos alunos, que terão o controle sobre o quê, quando, onde e como aprender”, afirma Ferla.

Varejo

O desenvolvimento de tecnologia na nuvem continua sendo uma tendência forte para o comércio. De acordo com o estudo “Como vamos na América Latina”, da Citrix, o Brasil é o país que mais utiliza a infraestrutura de cloud computing: são 57% de empresas adeptas da tecnologia. A tendência deve se intensificar em 2019 dentro do varejo. A startup Hiper, que desenvolve soluções na nuvem para gestão de vendas do micro e pequeno varejista, identificou a necessidade de criar um produto híbrido, capaz de atuar na nuvem, e também off-line, pensando na conectividade de diferentes dispositivos.

“Queremos nutrir o varejista com informações sobre o seu negócio. Poder acessar dados em qualquer lugar permite que ele acompanhe o funcionamento do seu estabelecimento mesmo de longe, durante o período de férias ou uma viagem, por exemplo. Isso é muito transformador para o rotina do comerciante”, comenta Tiago Vailati, CEO da startup.

O Hiper Gestão, principal produto da empresa, pode monitorar desde o estoque até a frente de caixa, e é desenvolvido pensando no micro e pequeno comerciante que deseja facilidade na sua rotina. A solução ainda pode ser personalizada por meio de uma loja de aplicativos exclusiva, para atender ainda mais às necessidades do empreendedor.

Tags
Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail