COMUNIDADE

Cenário e Escopo: fatores críticos de sucesso para o plano de continuidade

Normalmente as metodologias para o desenvolvimento e implantação de Planos de Continuidade de Negócio não consideram o Escopo e o Cenário como elementos estruturais e importantes.Minha sugestão, baseado no que aprendi na prática: considere

Normalmente as metodologias para o desenvolvimento e implantação de Planos de Continuidade de Negócio não consideram o Escopo e o Cenário como elementos estruturais e importantes.

Minha sugestão, baseado no que aprendi na prática: considere o Cenário e o Escopo como elementos muito importantes de um Plano de Continuidade de Negócio. Quando não os considerei, tive muito mais esforço (leia-se stress) e as pessoas envolvidas ficaram mais confusas em relação ao processo de continuidade de negócio.

ESCOPO

O Escopo define os elementos que serão considerados no plano. Ele delimita o espaço (real e virtual) que o plano irá tratar.

Temos a tendência, principalmente os marinheiros de primeira viagem, de desenvolver um plano que considere todos os recursos da organização. O objetivo é bom. Porém, a implantação desta forma não é a mais adequada. Para uma organização que não possui Planos de Continuidade, deve-se começar com um escopo pequeno e ao longo do tempo deve-se desenvolver novos planos com uma maior quantidade de elementos.

CENÁRIO

O Cenário indica em que situação se encontra os recursos considerados. Para um mesmo escopo podemos ter mais de um cenário.

Considere um exemplo onde foi considerado como Escopo apenas o ambiente centralizado de Tecnologia da Informação.

Podemos ter Cenários em relação ao funcionamento dos recursos: os servidores estão funcionando, mas os links de comunicação com um órgão externo estão indisponíveis.

Também podemos ter Cenários em relação ao fator tempo: o desastre ocorre no início do expediente ou o desastre ocorre no final do expediente. Imagine uma instituição financeira que precisa no final do dia realizar um fechamento com o Banco Central. Serão planos distintos.

Para cada grupo de Escopo e Cenário podemos escrever um Plano de Continuidade. Isto significa que deveremos ter vários Planos de Continuidade, e cada Plano de Continuidade será desenvolvido para um escopo e um cenário.

A definição explícita do Cenário e do Escopo facilita a Direção da Organização entender as limitações do produto gerado com o dinheiro disponibilizado para a continuidade.

Tenho desenvolvido planos de continuidade onde os primeiros planos eu consigo sugerir o Escopo e o Cenário, mas que rapidamente envolvo as áreas de negócio, ou algumas áreas de negócio para em reunião tipo tempestade de idéias, com o objetivo de identificamos Escopos e Cenários que o negócio deseja que seja considerado. Afinal Plano de Continuidade existem para permitir que organização tenha um impacto

Desde que decidi que Escopo e Cenário são meus direcionadores, deixei de lado os termos Plano de Contingência, Disaster Recovery e outros. Tudo é para continuidade de negócio. Mesmo um desastre que indisponibilize apenas recursos de tecnologia da Informação.

Defina o Escopo e o Cenário. Caso contrário você estará perdido e sem rumo.

Edison Fontes, CISM, CISA, CRISC, MSc

Núcleo Consultoria em Segurança

[email protected]

Comentários
As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem unicamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da IT Mídia ou quaisquer outros envolvidos nessa publicação.

Notícias Relacionadas

Copyright 2017 IT Mídia. Todos os direitos reservados.
É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da IT Mídia.