COMUNIDADE

Os tipos de inovação e o projeto de P&D

Inovação, claro, pode ser de um novo produto, mas também de um processo de fabricação

Olá Pessoal!!!!

No post anterior fizemos um alinhamento sobre a inovação e os principais manuais do assunto, como o de OSLO e o FRASCATI. Vamos adiante no assunto. A inovação, claro, pode ser de um novo produto, mas pode ser também de um processo de fabricação, bem como agregação de novas funcionalidades que implique em melhorias incrementais e efetivo ganho de qualidade ou produtividade no mercado. Como exemplo de inovação de processos temos métodos que podem envolver mudanças no equipamento ou na organização da produção, ou uma combinação dessas mudanças, que podem derivar do uso de novo conhecimento.

A inovação tecnológica pode descrever um conjunto de fases que vão desde a pesquisa básica até o uso prático, compreendendo a introdução de um novo produto no mercado em escala comercial, tendo, em geral, fortes repercussões socioeconômicas. A TI é um dos meios pelos quais as empresas alcançam as inovações tecnológicas. Podemos mudar processos e produtos das empresas em que trabalhamos através da utilização de soluções de TI. Um exemplo: o uso de BI no processo de tomada de decisão pelas empresas.

Podemos ter diversos níveis de inovação: radical, arquitetural, incremental, básica, além da inovação de rotina e disruptiva. São conceitos teóricos, mas na prática podemos ficar entre inovação de rotina e disruptiva.

Rotina: mudanças inspiradas no próprio processo ou produto;

Disruptiva: surgem oportunidades de melhorias, conta com criatividade e insighs fora da caixa.

E Invenção é o mesmo que Inovação? Não! A Invenção é bem diferente de inovação, pois invenção é gerar uma ideia, um conceito ou uma solução onde não existe nada. É descobrir algo novo, ser 100% original. A invenção surge de um processo criativo, sem objetivo comercial definido. A partir do momento em que chegar à sociedade e produzir algum resultado – aí sim, torna-se inovação.

Portanto, Inovação: muda ou altera as coisas, introduzindo novidades que gere diferencial. Pode ser no produto, no processo, nos serviços ou até mesmo no negócio.

Ah, e o que não é inovação:

  • A própria empresa pode ser o elemento de comparação para definir se algo é ou não inovador? Fazer algo diferente e criativo pode não ser suficiente. É preciso haver resultado: novas coisas, de novos modos, gerando valor novo.
  • Inovação não é apenas um novo produto. Inovação pode ser um novo processo, um novo mercado, um novo canal de distribuição, dentre vários outros.
  • Melhorias e inovações são conceitos distintos? Apesar de haver sinergia entre os dois movimentos, gerenciá-los com a mesma mentalidade, ferramentas e práticas pode ser problemático. Inovação não deve se limitar à melhoria do existente.

Vamos agora falar do P&D – Pesquisa e Desenvolvimento. Primeiramente alguns números, vejam só: a Lei nº 9991/00 estabeleceu que as empresas do setor de energia elétrica deveriam destinar uma parcela de sua receita operacional líquida em P&D, variando de 0,5% a 1%, conforme o período, e em eficiência energética (de 0,25% a 0,75%). Será que realmente destinam?

Olha o Brasil: Israel investe 4,2% do seu PIB em pesquisa e desenvolvimento (Investimento absoluto em 2013).  Coreia do Sul 3,6% do seu PIB. Japão investe 3,4% do seu PIB. EUA 2,8% US$ 450 bilhões (quem mais investe, 1º colocado no ranking absoluto de investimentos em P&D). O Brasil – ocupa a 36ª posição, 1,3% do seu PIB – US$ 31 bilhões.

Falei sobe Pesquisa e o Desenvolvimento (P&D) pois é um exemplo de algumas atividades que podem ser desenvolvidas em diferentes fases do processo de inovação, não sendo utilizadas apenas enquanto fonte de ideias criativas, mas também para resolver os problemas que podem surgir em qualquer fase até a sua implementação. P&D envolve trabalho criativo empreendido de forma sistemática com o objetivo de aumentar o estoque de conhecimento, incluindo o conhecimento do homem, da cultura e da sociedade, e o uso deste conhecimento para desenvolver novas aplicações.

No próximo post vamos dar um exemplo de um case real de inovação, um projeto de P&D dentro de uma companhia de energia elétrica.

Um abraço e até lá,

Zaidan

Fontes:

Afinal de contas, o que inovação tecnológica — Disponível em: <https://www.profissionaisti.com.br/2011/09/afinal-de-contas-o-que-e-inovacao-tecnologica/>.

O financiamento à inovação no Brasil: Disponível em: < http://www.comciencia.br/comciencia/handler.php?section=8&edicao=90&id=1111>.

15 países que mais investem em pesquisa (e o Brasil em 36º). Disponível em: < http://exame.abril.com.br/economia/15-paises-que-mais-investem-em-pesquisa-e-o-brasil-em-36o/>.

Pesquisa e Desenvolvimento. Disponível em: <http://www.utfpr.edu.br/patobranco/estrutura-universitaria/diretorias/direc/nit/pi/pesquisa-e-desenvolvimento>.

Comentários
As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem unicamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da IT Mídia ou quaisquer outros envolvidos nessa publicação.

Notícias Relacionadas

Copyright 2017 IT Mídia. Todos os direitos reservados.
É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da IT Mídia.