COMUNIDADE

Programas de Canal: baixas de guerra

Em tempos de crise, as primeiras vítimas são os Programas de Canal

“Na guerra, a primeira vítima é a verdade”. A várias pessoas se atribui a paternidade da frase. Fico com Ésquilo, dramaturgo da Grécia Antiga.

Fazendo um paralelo com a situação dos canais de TI hoje, podemos dizer que, na crise, os Programas de Canal são as primeiras vítimas. Pressionados por suas matrizes a entregar números normalmente inalcançáveis em tempos difíceis, os escritórios locais dos fabricantes de TI enfrentam o seguinte dilema: manter a disciplina das regras contidas nos seus Programas de Canal e, às vezes, perder negócios, ou ganhá-los a qualquer custo, mesmo prejudicando os parceiros que acreditaram nas regras definidas em tempos de bonança e nas juras de fidelidade eterna dos executivos dos fabricantes.

A falha não é geral, claro. Muitos vendors se mantêm firmes no cumprimento das promessas e negociam, sempre compensando de forma justa a revenda que trabalhou na oportunidade. Mas muitos outros simplesmente ignoram seus Programas de Canal. Às vezes o fazem para não perder negócios de valor baixo, o que demonstra claro despreparo dos executivos.

Algumas vezes, entretanto, os valores são altos e podem representar o atingimento (ou não) de uma meta trimestral – e consequentemente a permanência (ou não) da cabeça em cima do pescoço.

Nesses casos sugerimos uma franca conversa com o canal que será prejudicado e a solicitação da sua ajuda. Muito cuidado nesse momento, pois promessas futuras para compensar as perdas não podem ser feitas sob a pena de demissão sumária dos executivos das multinacionais, sujeitas a regras de compliance e governança.

Não devemos esquecer que uma revenda “traída” é uma dupla ameaça: deixa de ser seu parceiro e, muito provavelmente, passará a ser seu feroz concorrente.

Distribuidores e revendas também fazem bobagens em tempos de crise e devem ser igualmente penalizados, mas o fabricante é o “dono” do canal e é dele a responsabilidade maior de zelar pelo respeito aos Programas de Canal. E respeito a si mesmo.

Questionados sobre o que os levou a rasgar os Programas de Canal, escritos ou verbais, os fabricantes costumam usar a desculpa de terem recebido “novas orientações da matriz”. Ahhh Ésquilo…

Sergio Basilio é Diretor de Estratégia e Soluções de Cloud para a América Latina e responsável pela estratégia global de IoT da Westcon-Comstor.

Comentários
As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem unicamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da IT Mídia ou quaisquer outros envolvidos nessa publicação.

Notícias Relacionadas

Copyright 2017 IT Mídia. Todos os direitos reservados.
É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da IT Mídia.