Home > Notícias

Brasil está em terceiro lugar na rota de spams em todo o mundo

Bots e ramsomware estão entre as ameaças mais lançadas no País, de acordo com relatório da Symantec

Redação

01/03/2019 às 22h19

Foto: Shutterstock

De acordo com a 24ª edição do Internet Security Threat Report (ISTR), relatório anual de segurança da Symantec, o Brasil ocupa posição de destaque global quando se trata de ameaças cibernéticas. Entre os oito tipos de ataques analisados, o país teve aumento em cinco: bots (3ª), ramsomware (4ª), criptomineradores (5ª), phishing (9ª) e malware (11ª). O Brasil manteve a 3ª colocação global em termos de Spam, e perdeu colocação apenas em ataques de rede (10ª) e web (12ª).

Dos 157 países analisados pelo ISTR, o Brasil subiu três colocações e agora é o 4º que mais recebe ataques cibernéticos, atrás de Estados Unidos, China e Índia. Na América Latina, o país ocupa a primeira posição, com 4.11% dos ataques globais. O México, que é o segundo país da região, recebe menos da metade, 1.93%.

A redução dos rendimentos de cryptojacking e ransomware fez com que criminosos cibernéticos migrassem para novos ataques, como formjacking, que obtém dados de cartão de crédito nos formulários de compras online. O Brasil foi o 8º país mais afetado, dos 3,7 milhões de ameaças bloqueadas no mundo pela Symantec, 3,1% foram feitas no Brasil.

Privacidade

Com o recente escândalo de dados da Cambridge Analytica, as audiências sobre privacidade do Facebook, a implementação do Regulamento Geral de Proteção de Dados (General Data Privacy Regulation - GDPR) na Europa e da Lei Geral de Proteção de Dados no Brasil,  e revelações sobre o rastreamento de localização de aplicativos e bugs de privacidade em apps muito utilizados, como o recurso FaceTime da Apple, a privacidade do consumidor ganhou os holofotes no ano passado.

O smartphone pode ser o melhor dispositivo de espionagem que já existiu – câmera, dispositivo de escuta e rastreador de localização, tudo no mesmo aparelho, que é carregado voluntariamente e usado onde quer que o proprietário esteja. Embora já sejam alvo de Estados devido a espionagem tradicional, os smartphones também se tornaram uma ferramenta lucrativa para coletar informações pessoais dos clientes, com os desenvolvedores de aplicativos móveis figurando como piores infratores.

O ISTR da Symantec fornece uma visão abrangente das ameaças, incluindo informações sobre as atividades das ameaças globais, as tendências dos criminosos cibernéticos e as motivações dos hackers. O relatório analisa os dados da Symantec Global Intelligence Network™, a maior rede civil de coleta de ameaças do mundo. Ela rastreia mais de 700 mil adversários globais, registra os eventos de 126.5 milhões de sensores de ataque espalhados pelo mundo e monitora as atividades das ameaças em mais de 157 países e territórios.

Dicas de Segurança

Privacidade

              - Cuidado com as permissões dos aplicativos baixados

             - Limite as informações que fornece em sites em geral e redes sociais

Ameaças

              - Evite navegadores e sistemas operacionais antigos, são potencialmente vulneráveis

              - Só use Wi-Fi público quando for realmente necessário

              - Instale aplicativos de segurança em todos os dispositivos

Informações

- Não use a mesma senha para todos os serviços, e de preferência, utilize segundo fator de autenticação

Tags
Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail