Home > Notícias

Cloud computing é resposta para tudo?

Para executivo da Equinix, a nuvem tem papel estratégico nas empresas, mas será que ela realmente é o único caminho a ser seguido na transformação?

Déborah Oliveira

15/08/2019 às 16h03

Foto: Déborah Oliveira

O futuro será definido por serviços digitais cada vez mais inteligentes em todos os lugares – uma malha inteligente, que interliga pessoas, dispositivos, conteúdo e serviços. Essa é visão do instituto de pesquisas Gartner sobre a próxima fronteira da infraestrutura de tecnologia da informação (TI). Uma crença também compartilhada pela Equinix, que conecta empresas aos seus clientes, colaboradores e parceiros em data centers interconectados.

A companhia abriu o segundo dia do IT Forum+, que acontece nesta semana na Praia do Forte (BA), e levantou possíveis futuros para a infraestrutura de TI nos próximos anos, revelando que os data centers corporativos estão com seus dias contados.

“Estamos em um mundo híbrido, misturando cloud computing e edge”, contou Wellington Lordelo, gerente de Solution Marketing da Equinix. Ele também afirmou que nesse novo universo, cloud computing não é a resposta para tudo. “É parte da conversa”, sentenciou.

É por isso que, segundo ele, há uma necessidade premente de interconectar provedores e parceiros com segurança, garantindo, de fato, a transparência fim a fim. Lordelo indicou que a Equinix tem olhado com atenção para esse modelo e nos últimos anos investiu mais de US$ 25 bilhões em uma Plataforma Global de Interconexão para garantir a entrada de empresas no universo digital.

O objetivo era construir um espaço neutro, já que há muitos anos operadoras que queriam trocar dados com outras tinham de investir no backbone da concorrente, e garantir a menor latência possível, um elemento-chave nos dias atuais. “No cenário hoje, pautado pelo digital, empresas entenderam o poder da interconexão”, reforçou ele.

Com a palavra, o cliente

Para exemplificar como a interconexão e latência são chave nos negócios hoje, a Equinix convidou o diretor de TI da Agência Estado, Rodrigo Simão, para compartilhar o processo de transição do data center interno da empresa para o interconectado da Equinix.

“Como trabalhamos com missão crítica, uma vez que somos líderes no segmento de notícias e cotações em tempo real para o mercado financeiro brasileiro, para nós é fundamental ter infraestrutura rápida e redundante. Com a migração do nosso data center e conexão dedicada passarmos a ter um ambiente mais confiável”, afirmou o executivo, completando que a ideia era simplificar.

Com a adoção do Equinix Cloud Exchange Fabric (ECX Fabric), da Equinix, que conecta infraestrutura distribuídas, Simão contou que no cenário anterior, na arquitetura, eram preciso dois canais privados de diferentes empresas de telecom. Com o projeto, agora são necessárias duas conexões em Alta Disponibilidade EXC. Antes, a latência era de 150 milissegundos no primário e 190 milissegundos no canal secundário. Com a migração, passou a ser de 115 milissegundos em ambas conexões redundantes. Além desses benefícios, foi possível reduzir o custo em três vezes.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail