Home > Inovação e Tecnologia aplicada à negócios

3 maneiras de monitorar os indicadores da disrupção de mercado

Vitor Fernandes

06/02/2019 às 8h00

Foto:

Existem muitas técnicas para monitorar o mercado, não é nenhuma novidade que as empresas sempre estão de olho na concorrência. Entretanto a disrupção normalmente surge de lugares que as empresas não estão olhando. Os 7 indicadores da disrupção é uma ótima ferramenta para monitorar quando um mercado está para ser “disruptado”.

Este artigo aprofunda o tema tratado no artigo 7 sinais que indicam a disrupção de mercado. As maneiras descritas foram baseadas no livro Dual Transformation e foram adaptadas para o momento atual.

1- Vá para as margens do mercado

O cenário nos principais centros é facilmente monitorado, mas é na periferia do negócio que podem estar os melhores insights. No Data Science conhecemos como outliers aqueles que são “pontos fora da curva”, consumidores que se comportam de maneira completamente diferente do padrão.

Os outliers são possíveis indicadores de tendências e quando analisados por meio de dados, podem revelar muito mais do que se imagina. Por isso é preciso também conhecer os hábitos dos consumidores fora do centro de operações. Grupos focais bem realizados são uma boa fonte de dados.

Conhecer as pessoas ou empresas que não são seus clientes é uma abordagem interessante para entender onde podem haver novas oportunidades de mercado. O mais importante é entender como as pessoas estão solucionando os problemas sem usarem o seu produto. Quais são as alternativas que surgem fora do centro.

2- Fique atento as pequenas coisas

Se algo está crescendo rapidamente, então deve ser investigado. Não importa que ainda seja algo pequeno. Ao identificar uma mudança é importante investigar o suficiente para que se entenda o que ela realmente significa.
Cada mercado terá uma característica, portanto é importante mapear direta ou indiretamente como se comporta e quais são os parâmetros que mais o influenciam. Essa pode ser uma tarefa complicada, mas hoje em dia existem muitas ferramentas para lidar com grande volume de dados.

3- Pense sobre o que pode acontecer no futuro

Imagine como o mercado estará daqui alguns anos. Quais inovações terão ocorrido? O que deixará de ser relevante? O que será mais demandado? Crie um cenário e venha regredindo imaginando quais inovações levaram a outras e outras e assim por diante. Utilize diversas técnicas para imaginar os novos modelos de negócios.

Uma das técnicas mais comuns para se analisar quais projetos se deve investir é analisar o NPV (valor presente líquido). É uma técnica simples, basta calcular quanto irá custar um projeto e estimar sua taxa de retorno. Se o custo do dinheiro for menor do que a taxa de retorno então esse projeto deve ser investido.

Entretanto esse método tem um enorme viés, pois considera que qualquer projeto não lucrativo dentro de um período não deve ser investido. Entretanto muitos, senão todos, os projetos de inovação começam no negativo.

O que se deve calcular nesse exercício é o custo de não fazer nada. Pode não parecer um bom investimento hoje, porém como será o amanhã caso não o tenha feito? Inclua essa variável sempre que for avaliar um projeto pelo seu valor presente líquido.

 

Vitor Fernandes

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail