Home > Gestão de conhecimento: potencializando a estratégia organizacional

Antes da Arquitetura Empresarial, o (des)alinhamento da TI com os negócios organizacionais

Fernando Zaidan

14/08/2013 às 9h51

Foto:

Olá Pessoal, tudo bem?

Então ... vamos continuar com nossos conceitos para enfim chegar a algo mais prático sobre Arquitetura Corporativa (ou Empresarial).

Antes, vamos voltar um pouco no tempo, uns 15 ? 20 anos, ou mais, e lembrar como eram implantados os Sistemas de Informação. Você viveu esta época? Eu vivi, com muito orgulho. Mas, convenhamos, as coisas não eram lá muito certas, se comparadas com os tempos atuais.

Uma vez decidido o que implantar em termos de Sistemas de Informação (não vamos entrar aqui no detalhe de como os Sistemas eram adquiridos), não havia o costume de verificar se esse Sistema estaria totalmente aderente à infraestrutura de TI, tampouco aos processos de negócio da organização. Ou seja, uma vez adquiridos, os Sistemas eram implantados.

Onde havia falhas? Bem, podemos verificar dois casos: algumas vezes os processos de negócio realmente estavam incorretos e precisavam ser remodelados. Mas, o Sistema chegava primeiro e somente depois é que mexeria nos processos. O outro caso é dos processos estarem corretos. Neste caso a empresa sofria, e muito, pois seria necessário modificar o Sistema depois de implantado, acarretando em altos custos, prazos não cumpridos. Na verdade estes dois casos são críticos.

Este mesmo cenário pode ser aplicado à área de infraestrutura e Tecnologia da Informação. O que este quadro traz para as organizações? Um desalinhamento da TI com os negócios organizacionais.

Foi em 1997 que Henderson e Venkatraman começaram a dizer que o alinhamento estratégico da TI era necessário nas empresas, de forma que as atividades fossem coordenadas pela gerência da organização com objetivo de alcançar suas metas através da integração funcional de várias áreas, tais como: TI, administração financeira, marketing, recursos humanos, produção, serviços, etc.

Um interessante modelo foi elaborado por estes autores que retrata quatro domínios: estratégia de negócios, infraestrutura e processos organizacionais, estratégia de TI, infraestrutura e processos de TI. Estes quatro domínios mantém o perfeito ajuste estratégico e a integração funcional dos negócios com a TI, mudando o enfoque da TI, de automação para gestão estratégica. Veja o paper: http://gunston.gmu.edu/ecommerce/ITGovernance/doc/henderson.pdf

Um detalhe: se você ainda visualiza este quadro relatado por aí, cuidado, a organização em questão pode estar tratando a TI como custo, apenas como suporte para as demais áreas organizacionais, desconectada do negócio.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail