Home > Marca Pessoal - Seu maior ativo

Aprimore a sua comunicação e vá mais longe!

Escute mais e interaja mais para ser mais escutado também!

Deize Andrade

12/05/2019 às 18h39

Foto: Divulgação

Trago hoje um caso de sucesso que nos proporciona um bom aprendizado.

Eliana (nome fictício), uma profissional bastante experiente, com um histórico de resultados excelentes, veio fazer o programa de Gestão de Marca Pessoal. Sua expectativa era estar preparada para uma possível transição de carreira.

E a questão era de comunicação, ainda que ela não tivesse percebido a princípio.

Veja, nosso mundo hoje é de tantas distrações, que está cada vez mais difícil que sejamos escutados! Agora, pensa! Se não nos ouvem, como vão comprar nossas ideias, como vamos colaborar, como vamos atingir os objetivos dentro de uma empresa?

O caso

Eliana estava sentindo o ambiente de trabalho pesado. Estava sendo deixada de lado em algumas decisões importantes e a relação com outros departamentos, que parecia fluir bem anteriormente, não estava mais tão fácil. Em sua cabeça, a demissão estava próxima, ainda que ela não entendesse o porquê. Seus resultados eram bons, acima do esperado!

Começamos por explorar sua personalidade, habilidades e competências. No primeiro 'assessment' encontramos que seu perfil é o de pessoas organizadas, respeitadoras da ordem e da tradição, dedicadas, leais, objetivas, e com princípios bastante sólidos.

Tudo a ver com o que era esperado dela. Por outro lado, esses perfis podem operar como se somente a sua maneira de pensar, e conduzir os processos, seja a correta e acabam por tornar-se “cabeças-duras”. Tentam impor o que acreditam e não escutam os outros.  Aí, a coisa pega, né?

Passamos então a um profundo exercício de auto avaliação. Eliana se sentiu um tanto desconfortável, mas estava disposta a investir em seu aprimoramento. Encheu-se de coragem e pediu feedback aos colegas de trabalho, gestores, pares e subordinados.

A sua proatividade, saindo da zona de conforto e enfrentando o desafio de mudar, recebeu muito apoio. Os feedbacks foram dados rapidamente e ela teve seus pontos fortes descritos e confirmados, podendo então, avaliar com imparcialidade os comentários menos favorecedores sobre seu estilo de liderar e se comunicar.

Foi quando tudo começou a mudar. Ela sempre tinha tanta certeza de suas ideias que as expressava com força e atitude, o que é ótimo, porém, sem ouvir o outro, o que já não é tão bom.

Ao enxergar que aquilo que considerava certo, podia não ser o melhor para aqueles com quem interagia, abriu-se à mudança.

Reflexão

O que nos acontece que ainda não vemos essa necessidade de nos comunicarmos de forma mais aberta e inclusiva? Podemos pensar que seja só o perfil de cada um, mas tem aí um tanto da vivência de outros tempos. Tempos onde um falava e o outro obedecia. Tempos onde o conhecimento estava nas mãos de uns poucos e esses eram os que ditavam as regras. Tempos onde tínhamos um objetivo na empresa e todos seguiam o estabelecido.

Já não é mais assim. Cada setor tem seus próprios projetos, suas prioridades e para conseguir que nos deem atenção, precisamos ser estratégicos e nos relacionar muito bem. Perceber que precisamos entregar o que é de interesse ou necessidade do “cliente” e não o que nós achamos que seja.

Com tanta informação disponível para qualquer pessoa, a autoridade trazida pelo que tínhamos adquirido no correr do tempo já não é o máximo. Afinal, todos têm acesso a tudo.

Nossa experiência só será valiosa se acompanhada pela sabedoria, pelas 'soft skills' desenvolvidas. E principalmente pela capacidade de nos comunicarmos assertivamente, com clareza e transparência, e de negociarmos com maior empatia, com foco na outra pessoa e não em nós mesmos.

Voltando ao caso

Eliana explorou aspectos da inteligência emocional, seu estilo de comunicação e a escuta ativa. Trabalhamos as estratégias necessárias para que as negociações de seus projetos fossem mais produtivas.

Também, conversou com cada um dos seus interlocutores para aumentar a colaboração entre seu departamento e os outros, encontrando objetivos comuns a alcançar e que estivessem alinhados com a estratégia da empresa.

O resultado? Estabeleceu um novo padrão de comportamento e relações mais saudáveis dentro da empresa, voltando a ser reconhecida por gestores e colegas e sendo figura importante no negócio.

Escutar mais e melhor

Foi muito gratificante ver uma profissional se desenvolvendo rapidamente, a partir de sua abertura e do uso das técnicas de comunicação produtiva.

Thomas Brieu, especialista em escutatória- competência fundamental para a comunicação produtiva, traz 5 dicas para escutar mais e melhor nesse artigo.

E o vídeo abaixo complementa.

Aproveite a expertise do Thomas e aperfeiçoe ainda mais a sua comunicação! E seja como a Eliana, que está fortalecendo a sua marca pessoal e se destacando na empresa em que trabalha!

 

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail