Home > Business Technology

O Futuro da SAP

Paulo Santana

06/11/2017 às 11h42

Foto:

Nessa entrevista exclusiva ao IT FORUM 365 - Business Technology Blog, ela compartilhou seus pensamentos sobre o futuro da empresa, os desafios e oportunidades que a SAP enfrenta na medida em que responde à transformação digital. Suas observações, resumidas e contextualizadas aqui, captam o que esperar do futuro da SAP.

            Leonardo: um novo mundo que se abre. A coleção de tecnologias digitais emergentes conectadas dentro de uma grande plataforma batizada de Leonardo, representa uma nova estratégia e também um novo posicionamento de como a empresa irá contribuir para acelerar a transformação digital de seus clientes.  Trata-se do maior movimento tecnológico desde que a empresa lançou o HANA, ou seja, a empresa quer ir além de ser o ERP dos clientes e apoiar na incorporação de novas tecnologias digitais de análise de dados como Machine Learning, Analytics, IoT, Blockchain e Big Data para impulsionar a transformação dos negócios.

Esse lançamento é transformacional para nós, enquanto companhia, como forma de endereçar o ERP. Fomos revolucionários ao lançar o ERP há 45 anos e revolucionários ao trazer essa nova visão de como gerir negócios. O Leonardo é uma quebra de paradigma para a SAP. A plataforma abre infinitas possibilidades para as empresas incorporarem tecnologias no seu dia a dia. O melhor dos mundos é ter os dois, de um lado ter a parte transacional muito sólida com dados estruturados disponíveis no ERP e por outro lado toda a plataforma Leonardo com a parte analítica.

Trata-se também de um novo posicionamento de comunicação, pois a complexidade da arquitetura que vem da combinação dessas tecnologias representa um grande desafio de mensagem que requer mais simplificação no processo de entendimento e compra por parte do cliente, que deixa de adquirir um software e passa a contratar uma solução para um problema real de negócio.

Esse movimento, sem dúvida, pode se confirmar em alguns anos numa aposta certeira para o crescimento de receita da empresa. A longo prazo, os investimentos na modernização do ERP tendem a estabilizar e a adoção dessas novas tecnologias digitais é o que possibilitará, de fato, elevar os patamares competitivos das organizações e da própria SAP.

            Ecossistema de parceiros: desafio e oportunidade. Para dar vida e escala a esse novo mundo que o Leonardo representa para a SAP, seus parceiros precisam estar alinhados com essa nova realidade. Essa talvez seja a grande prova de fogo para o Leonardo, que precisa incorporar novos players em seu ecossistema, sobretudo startups, para arquitetar soluções a problemas reais de negócios e dar vida às novas tecnologias digitais.

Os parceiros precisam se ajustar agora como se ajustaram quando trouxemos o SAP S/4HANA.  É uma possibilidade para eles próprios se reinventarem, assim como nós. Eventualmente, alguns irão ficar na zona de conforto e novos serão incorporados ao nosso ecossistema. Como somos uma plataforma aberta, as startups são um braço importante desse processo.

Nessa fase inicial, a própria SAP tem liderado a arquitetura de soluções através do Leonardo, liderando projetos e protótipos junto a grandes clientes. Para dar o pontapé inicial e engajar novos clientes e parceiros foi lançado o SAP Leonardo Center São Leopoldo, que é o terceiro centro de transformação digital da SAP no mundo e o primeiro na América Latina. É uma experiência digital com espaços físicos para inspiração, prototipação através de design thinking, além de ofertas de soluções e showcases. Pretende-se, com isso, ampliar a experiência dos parceiros a fim de que eles possam estreitar ainda mais o relacionamento com seus clientes e incorporar o Leonardo em seus novos projetos.

            SAP S/4HANA: o coração do negócio. Globalmente e também no Brasil o SAP S/4HANA tem experimentado uma boa aceitação do mercado. O crescimento de novos clientes que já entram direto na tecnologia, em sua grande maioria na nuvem, é visível. Tudo indica que 2018 representará um ponto de virada para a base de clientes existentes, e a SAP deve observar um grande movimento de migração dos que têm versões anteriores para o SAP S/4HANA.

A aceitação do SAP S/4HANA no Brasil tem sido fantástica, mesmo com tudo que tem acontecido no país. As empresas revertem o investimento em produtividade, redução de custo e governança.

Combinar o SAP S/4HANA - que é o coração de dados transacionais do negócio - e as novas tecnologias do Leonardo coloca a SAP numa posição muito privilegiada no apoio à transformação digital dos negócios de seus clientes, passando a atuar de ponta a ponta, do back-end ao front-end.

            O imperativo da Nuvem. Estar na nuvem não é uma opção para acelerar a transformação digital, mas, um imperativo. Apesar da resistência inicial ao tema no mercado brasileiro, a qual demorou um pouco mais a ser superada do que o resto do mundo, a SAP deve acompanhar de perto os movimentos de mercado para acelerar a linha de receita do seu portfólio de serviços de Cloud.

Há três anos o mercado brasileiro tinha bastante resistência à nuvem, era bem complicado você entrar nos clientes, as conversas eram pouco aderentes. Nos últimos seis trimestres, a gente tem experimentado uma aceitação muito grande do mercado brasileiro.

            SAP, o novo amigo das áreas de negócios. No novo mundo que se abre, a SAP deve passar a falar direto com o negócio e não apenas nos círculos fechados dos profissionais de TI. Essa nova realidade não é restrita à SAP. Na verdade, todos os fornecedores devem responder a esse novo contexto. Segundo o Gartner, o ano de 2017 é um ponto de inflexão onde as linhas de negócios passam a tomar mais de 50% das decisões de compra das tecnologias.

Tivemos sucesso em nosso nascimento com o ERP, e agora temos o desafio de nos reposicionar. Temos muito orgulho de ser uma empresa de ERP. Vamos seguir como uma marca muito forte nessa solução, mas estamos fazendo mais coisas. Muitas vezes não somos considerados porque as pessoas acham que nós só temos o ERP. Nossa missão é estar muito próximo das áreas de negócios. Precisamos garantir sermos considerados pelo negócio, mesmo que nem sempre contratados.

Em 2018 devemos observar um esforço mais intenso da SAP para superar esse desafio de marca e comunicação e ser percebido como um parceiro importante além do tradicional ERP da TI. Provavelmente vocês notarão ações de marketing e presença da marca em locais onde tradicionalmente não se encontrariam.

            Diversidade, uma palavra que resume o futuro. Um detalhe na abertura do SAP Forum Brasil 2017 pode ter passado despercebido pela maioria dos participantes: a presença exclusivamente feminina, representada por três altas executivas da empresa. Algo muito incomum numa indústria tradicionalmente dominada por homens. Espere ver uma SAP mais diversa do que você esteve acostumado até então! Mas a diversidade no futuro da SAP não estará restrita a questões de gênero, a diversidade poderá ser notada no pensamento da empresa, portfólio tecnológico, posicionamento de marca, perfil de funcionários, ecossistema de parceiros e clientes.

 

 

Paulo Santana, professor e coordenador do curso de MBA Digital Business da FIAP

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail