Home > Xandó: Avaliações e Opiniões

Vivo lança aplicativo/serviço que ensina a meditar

Flavio Xandó

23/06/2017 às 18h04

Foto:

Pensar fora do lugar comum. Inovar! São atributos associados a empresas de tecnologia ou empreendedores ousados. A VIVO apresentou ao mercado nessa semana o resultado de uma iniciativa singular, fruto da união de dois improváveis extremos, tecnologia e meditação.
Em conjunto com Satyanatha, nome monástico do brasileiro Davi Murbach, que viveu sete anos como monge em Kauai Aadheenam e que vive agora para servir ao propósito de levar a paz para as pessoas (em suas próprias palavras), a VIVO traz um original aplicativo que visa ensinar as pessoas a difícil prática da meditação. São várias etapas que se sucedem trazendo ao iniciante, aspirante à meditação os diversos passos para aprimoramento nesta incrível arte e prática.

Tive oportunidade de conversar com Satyanatha, quem desenvolveu o conteúdo em forma de vídeos que permeiam o aplicativo. Eu não o conhecia. Impressionou-me sobremaneira a forma pausada, calma e afetuosa com que ele conversa com as pessoas. Vivemos todos em um mundo extremamente conectado, onda tudo acontece em uma fração de segundo e a expectativa na relação com os outros é tão dinamicamente acelerada assim. Eu o questionei sobre isso citando que o convite ao aprendizado e à prática da meditação vai na contramão disso tudo, convidando as pessoas a se desconectarem. Sua sábia resposta foi “eu convido a todos para um upgrade, mas do ser humano e não de seus artefatos tecnológicos”.

 


Satyanatha
Clique aqui para assistir um vídeo que apresenta Satyanatha

Não sou praticante de meditação, nunca fui, embora saiba de suas virtudes e benefícios. Mas percebi o extremo cuidado que a Vivo teve ao desenvolver este serviço em forma de aplicativo. Aliás, segundo Fernando Luciano, diretor de serviços digitais e inovação da Vivo, a ideia de contar com Satyanatha e criar este aplicativo veio do fato da prática de meditação ser algo presente entre um grupo de executivos da empresa.

O aplicativo tem características singulares. Inicia-se por meio de lições curtas na voz de Satyanatha e vai progressivamente se aprofundando, aumentando a duração dos exercícios... Vez por outra, vídeos com o Satyanatha surgem ao longo do caminho. Enfim, achei uma iniciativa muito interessante! O aplicativo pode ser “degustado” por meio de algumas sessões que não têm custo e se a pessoa gostar, pode contratar o serviço por R$ 24,99 ao mês, acesso ao acervo completo das lições, vídeos, etc.

A VIVO produziu em comunicado de imprensa com outros detalhes sobre o aplicativo que replico abaixo, o qual os convido a completar a leitura. Mas encerro minha participação neste texto com a percepção de que a VIVO, empresa que como tantas apresenta erros e acertos com o consumidor, dessa vez foi incrível ao trazer um lado tão humano e pessoal auxiliando quem quiser “fazer seu upgrade pessoal”!! É um negócio, um serviço, trará receita para a empresa, fato que em nada, nada mesmo, pode desqualificar a inovação e sensibilidade da VIVO!

 

 

 


Com o app, Vivo assume papel de protagonista para discutir com a sociedade temas que vão muito além da conexão digital, incentivando clientes, funcionários e parceiros a “viver menos as mesmas experiências e mais as novas descobertas”

Serviço tem mais de mil meditações e aulas em áudio exclusivas, criadas pelo mestre em meditação Satyanatha

Empresa inaugura sala de meditação em seu edifício-sede, em São Paulo, exclusiva para seus funcionários

 

São Paulo, 23 de junho de 2017 – A Vivo lança hoje o Vivo Meditação, um app de meditação guiada por Satyanatha - nome monástico do brasileiro Davi Murbach, que viveu sete anos como monge em Kauai Aadheenam, um dos mais ortodoxos monastérios indianos, com sedes no Ceilão, na Índia e no Havaí. O serviço conta com mais de mil meditações e aulas exclusivas, criadas e gravadas por Satyanatha especialmente para o aplicativo. O app foi desenvolvido em parceria com a Movile, uma das empresas que lideram o mercado de mobile commerce global.

O app tem vários tipos de meditação –  fáceis de entender e de praticar – que se dividem em três categorias: meditações ESSENCIAIS, focadas em energias, mantras, cores e vibração; meditações para MOMENTOS especiais, cada uma com um propósito, como dormir melhor, aprender a perdoar ou abrir-se para um novo amor; e a JORNADA rumo à paz interior, uma série avançada que ajuda o meditador a se tornar um expert na meditação.

O aplicativo mescla a voz de Satyanatha como guia com trilhas sonoras relaxantes e músicas opcionais. O app dá a oportunidade de o usuário escolher opções como a “Sono Bom” para dormir melhor, ou a “Performance e Excelência”, para aprimorar o desempenho no trabalho, entre outras. O conteúdo ainda conta com aulas em vídeo e animações. Todas as meditações adotam a técnica de meditação Natha, estruturada e fácil para iniciantes, que foi iniciada com Nandinatha há 2.200 anos no alto da cadeia dos Himalayas. Elas têm durações variadas de 5 a 50 minutos.

Depois de viver por mais de sete anos no monastério, Satyanatha hoje dedica-se à prática da meditação, ensinando o que aprendeu como monge. De volta ao Brasil em  novembro de 2015, atualmente tem alunos particulares e dá aulas abertas para grandes grupos em São Paulo e nos Estados Unidos.

Para o mestre, participar no desenvolvimento do aplicativo é a oportunidade de dar continuidade à sua missão de vida: compartilhar seu conhecimento com a maior quantidade de pessoas possível. “A possibilidade de produzir conteúdo para um serviço com o potencial de atingir milhões de pessoas é o que me motivou a aceitar este desafio. Fui convidado para me tornar um dos líderes do monastério, vivendo no claustro, mas refleti que minha vocação era compartilhar o que aprendi”, afirma.

A assinatura mensal do Vivo Meditação custa R$ 24,99/mês e a semanal, R$ 5,99/semana. Para contratar o serviço, o usuário deve enviar um SMS com a palavra-chave MEDITA para o número 6100.

Uma história de desapego - Nascido no interior de São Paulo, Satyanatha, hoje com 38 anos, cursou Engenharia da Computação na Unicamp. Aos 24 anos, deixou uma carreira promissora em consultorias, sua vida pessoal, e todos os seus bens: carro, apartamento, móveis e roupas, para ingressar em Kauai Aadheenam.

Passou mais um ano em treinamento e tornou-se monge aos 26 anos, após uma cerimônia na qual ficou 33 dias sentado de frente para um muro, o Muro da Chuva, meditando se aquela era a escolha que desejava para sua vida. No monastério, formou-se em Teologia Comparada e desempenhou diferentes funções, tornando-se, inclusive, editor da revista Hinduism Today, a maior do mundo em seu assunto.

Sala de meditação - A Vivo quer trazer os benefícios da meditação também para seus funcionários. Por isso, o seu prédio-sede, em São Paulo, acaba de ganhar uma sala de meditação. A iniciativa faz parte do novo posicionamento da empresa, que propõe a seus clientes e funcionários “viver menos do mesmo”. A Vivo convida seus funcionários a aproveitar mais as boas coisas da vida, dedicando atenção àquilo  que mais importa.

Com capacidade para 40 pessoas, a sala de meditação poderá ser usada por qualquer funcionário. Periodicamente, Satyanatha dará aulas, mas a proposta é que a sala tenha livre uso e que os funcionários possam usar o Vivo Meditação, que é gratuito para todos que trabalham na companhia.

Viva menos as mesmas experiências – Com o Vivo Meditação, a Vivo se posiciona, ainda mais, como uma marca protagonista na vida de seus clientes, colaboradores e parceiros. A marca, que conecta cerca de 100 milhões de pessoas e empresas em todo o Brasil, lidera um movimento transformador, que incentiva as pessoas a “viver menos as mesmas experiências e mais as novas descobertas”.

A marca Vivo é contemporânea e próxima de seus diferentes públicos. Por isso, deu início, há dois anos, a um movimento para entender o impacto da tecnologia na vida das pessoas, e como ela se tornou o fio condutor que cria conexões, mas não substitui o contato pessoal.

“O primeiro passo deste movimento foi dado em 2015. Na época, a Vivo provocou a reflexão sobre o uso do celular, com a campanha digital ‘Usar Bem Pega Bem’. Essa campanha levava os clientes a refletir se estavam usando o celular do jeito certo e também abria a discussão sobre o mundo digital. Com ela, nos colocamos em uma posição de vanguarda e mostramos que inovamos não apenas em nossos produtos e serviços, mas também na maneira como nos relacionamos – e nos temas que discutimos com os nossos públicos”, afirma Christian Gebara, COO da Vivo. “Evoluímos ainda mais e, recentemente, a Vivo passou a explorar o conceito ‘Viver menos do mesmo’, uma evolução do ‘Viva Tudo’ e, desta forma, trouxemos uma provocação mais profunda a partir de temas relevantes e atuais, que trazem maior engajamento e consideração para a marca”, completa.

Recentemente, a Vivo lançou o primeiro filme da série ‘Viva menos do mesmo’ – que retratava com muita sensibilidade uma menina que não queria se limitar ao estereótipo do ballet e decide aprender a arte marcial do kung fu a partir dos conteúdos encontrados na internet – convidamos a todos a experimentar novas buscas, novos pontos de vista, ter menos a mesma opinião e os mesmos comportamentos. No Dia dos Namorados, a empresa lançou o #Renamore e incentivou os casais a “Viver mais o amor e menos todo o resto”, no dia 12 de junho.

“Vem de Você” – Dentro do mesmo conceito ‘Viver menos do mesmo’, a Vivo reforça a autenticidade de seus funcionários com a campanha “Vem de Você”. Piercing, tatuagem, cabelos coloridos, saia estampada, calça jeans? Vale o que a pessoa sentir bem para usar na ocasião em que estará presente. Este movimento ressalta valores da marca – democrática, aberta e inclusiva, e visa garantir ainda mais liberdade e personalidade na empresa

“A Vivo tem se colocado como uma marca democrática, aberta e inclusiva, então é natural trabalharmos para promover internamente este conceito. Queremos que os nossos colaboradores se sintam à vontade para mostrar seus estilos, suas atitudes. Com menos regras e mais do jeito deles”, conta Gebara.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail