Home > Notícias

Com operação 100% em nuvem, dr.consulta dobra número de pacientes

Guilherme Borini

16/10/2017 às 10h55

dr.consulta
Foto:

Se você mora ou frequenta São Paulo, provavelmente já deve ter se deparado com uma unidade dr.consulta. O objetivo da rede, que já conta com mais de 40 centros médicos espalhados pela capital paulista e região, é oferecer atendimento médico de forma acessível à população. Diante dos enormes desafios do setor da saúde no país, que, segundo a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), registrou 2,7 milhões de pessoas sem convênio saúde entre 2014 e 2016 em decorrência do aumento de preços, a atuação do dr.consulta ganhou destaque.

Com o crescimento da demanda de atendimentos, a rede identificou que seria necessário investir fortemente na sua infraestrutura tecnológica. O foco era tornar a operação mais dinâmica, suportando altos volumes de procura. Foi quando decidiu migrar toda sua operação para a nuvem e a plataforma escolhida é a Amazon Web Services (AWS).

Segundo a companhia, com a adoção dos serviços AWS, a disponibilidade de atendimento para pacientes passou de 97% para 99,6% em poucos meses. Gaston Perez, CTO da rede, afirma ao IT Forum 365 que a expectativa é chegar, já no próximo ano, a 99,9% de disponibilidade na ponta (nos centros médicos).

Perez conta também que, para a implementação, foram realizados três meses de testes e simulações de cenários. "O ambiente de produção definitivo foi criado em 15 dias e a migração realizada em dois dias", explica.

Além da migração de cloud, a rede promoveu uma migração de banco de dados (de SQL para Aurora), o que, para Perez, gerou uma complexidade adicional. "Mas a ferramenta da AWS, a Database Migration Service, facilitou muito essa mudança de plataforma de banco de dados", lembra.

Mais pacientes e menos custos

A rede registrou o dobro de pacientes em seis meses de operação e, ao mesmo tempo, reduziu custos em 20%. Outra mudança no sistema foi a redução de infraestrutura ao mínimo possível e sem perder o desempenho exigido. A velocidade de processamento de dados foi dobrada e o sistema possibilitou total estabilidade de performance em horários de pico no acesso, que antes apresentava redução de desempenho.

Analytics e IoT na mira

O executivo destaca que os próximos investimentos serão em Analytics e Data Science, de modo a prever as demandas do serviço e antecipar necessidades dos clientes. A empresa também pretende implementar serviços de internet das coisas (IoT), que permitirá agilizar ainda mais suas consultas e melhorar a experiência dos pacientes de qualquer lugar e a qualquer momento. A AWS pretende ser novamente parceira com sua plataforma Amazon IoT, que, segundo a empresa, já é um conjunto robusto de ferramentas.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail