Home > Notícias

Como educação se tornou peça-chave da transformação digital

Guilherme Borini

30/11/2017 às 15h41

educação
Foto:

A lista de desafios da transformação digital é extensa. Seja por questões de restrições de orçamento e acesso a tecnologias ou dificuldades com integrações de sistemas, as consequências da chamada era digital tem trazido mudanças drásticas para a sociedade como um todo.

Um exemplo muito claro que tem gerado esse tipo de discussão é a inteligência artificial. Diversos especialistas têm alertado: muitas profissões deixarão de existir por conta dos avanços de tecnologias e funções cada vez mais automatizadas. Um estudo realizado pela Dell Technologies, por exemplo, prevê que que, graças aos avanços tecnológicos, aproximadamente 85% das profissões de 2030 ainda não foram inventadas.

Mas essa visão não necessariamente deve ser vista como pessimista. Outros especialistas, especialmente de empresas de tecnologia, afirmam categoricamente que o novo cenário apenas exigirá novas funções, ou seja, não é preciso se desesperar com uma onda de desemprego. Andy Jassy, CEO da Amazon Web Services (AWS), é um dos defensores desses avanços tecnológicos.

O executivo cita o trabalho de tradutores de texto como exemplo. Durante o re:Invent, conferência anual da AWS realizada nesta semana em Las Vegas (EUA), a companhia anunciou soluções para traduções e transcrições automatizadas, com trabalhos altamente precisos. Ou seja, empresas que atuam nesse ramo fatalmente perderão espaço e, consequentemente, os funcionários que desempenhavam esses trabalhos.

Jassy usa o exemplo da própria Amazon como impacto positivo. A companhia registrou crescimento de 42% neste ano, em relação a 2016, e a expansão tem exigido a contratação de milhares de novos colaboradores. Uma prova que a tecnologia tem criado inúmeras oportunidades, destacou.

Para o executivo, a grande chave para estarmos preparados para o "novo mundo" é uma transformação do sistema educacional como um todo. É preciso preparar pessoas capacitadas para as nova funções.

Quem também vê a educação como desafio-chave desse processo é Jaime Valles, diretor da AWS na América Latina. "Precisamos trabalhar muito próximos de universidades e temos feito isso", destaca.

Para auxiliar na mudança deste cenário, a AWS tem trabalhado junto a universidades para levar seu portfólio e auxiliar na formação de novos desenvolvedores. Na América Latina, são 48 instituições - duas delas são USP e Unicamp. "Queremos que os alunos criem códigos na universidade e levem para empresas para mostrar seu portfólio de projetos. Algo como um profissional de marketing, que mostra seu book de trabalhos", comenta Jeffrey Kratz, líder dos negócios em setor público para América Latina.

Educação corporativa

Mas não é apenas o setor de educação que precisa passar por uma profunda revolução para preparar os profissionais. Ao mesmo tempo que a tecnologia tem exigido novas capacidades para usuários, a mesma necessidade tem sido percebida dentro de organizações.

É o que destaca Eduardo Horai, arquiteto de soluções da AWS. "Temos um foco muito grande em educação, para de fato educarmos o mercado. Promovemos diversos treinamentos e webinars, por exemplo. Na última semana, lançamos mais de 100 treinamentos gratuitos on-line", comenta.

Diante do aumento significativo de soluções tecnológicas no portfólio, a AWS tem estreitado o relacionamento com empresas para de fato evangelizar o mercado. O fato é que a palavra educação está presente em dois diferentes âmbitos, mas com a mesma - e extrema - importância.

*O jornalista viajou a Las Vegas (EUA) a convite da Amazon Web Services

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail