Home > Colunas

Como o open source amplia possibilidades

O recurso que facilita a analise de um software está abrindo uma nova porta de conhecimento

Jim Whitehurst*

13/05/2019 às 17h27

Foto: Shutterstock

É fascinante ver como o mundo continua mudando ao nosso redor. E parece que as mudanças estão acontecendo mais rápido que nunca. Sob o meu ponto de vista, percebo que estamos à beira de outra mudança disruptiva que abrirá todos os tipos de caminhos possíveis pelos quais a nossa sociedade pode crescer e evoluir no futuro. Mas, para gostar do impacto que esta mudança irá causar, precisamos primeiro olhar para trás, reconhecendo que as pessoas costumavam viver e trabalhar de uma forma muito diferente da que vemos hoje.

Repensando condições

Meio milênio atrás, antes de acreditarmos em ciência, racionalidade e processos — antes da revolução científica — não podíamos questionar ou debater o significado do mundo e nem como ele se comportava. Foi nesse momento que teve início uma mudança radical na forma como adquirimos conhecimento sobre o mundo ao nosso redor. O método científico foi criado graças a indivíduos cuja curiosidade não podia ser contida. Bravos pioneiros como Galileu começaram a questionar o mundo ao seu redor.

Quanto mais pessoas questionavam o que viam, melhores e mais profundas as suas perguntas se tornavam. Como resultado, passamos de um mundo em que as autoridades ditavam o conhecimento para um ambiente no qual as conclusões eram baseadas em observação e experimentação. Como disse tão oportunamente Sir. Francis Bacon, considerado pai do método científico, “se um homem começar com certezas, ele vai acabar em dúvida. Mas se ele se contentar em começar com dúvidas, ele vai acabar com certezas.”

No centro do método científico está uma curiosidade insaciável sobre o mundo. É uma metodologia para questionar por que as coisas funcionam como funcionam e para aprender com a experimentação, por meio de tentativas e erros. É uma mudança da dedução para o raciocínio indutivo, do pensamento 'top-bottom' para o' bottom-up'. Tem a ver com a liberdade de explorar o que pode ser possível, além dos limites que qualquer autoridade possa tentar impor.

Impacto no mundo

Adotar este tipo de metodologia experimental mudou a forma como entendemos quase tudo que fazemos e vemos. O que acabou mudando a forma como pensamos e levou a movimentos de inovação que culminaram no mundo moderno.

Quando reconhecemos que a Terra não era o centro do universo, entramos na Era do iluminismo, que introduziu poderosas ideias novas como a liberdade individual, o governo constitucional e a tolerância religiosa. As novas soluções dos inventores de tecnologias fundamentais como o motor a vapor, o telégrafo e o processo de Bessemer para a produção de aço nos levou à revolução industrial. Aprender sobre teorias médicas — da teoria dos germes às avançadas técnicas cirúrgicas — impulsionou a revolução médica que transformou o entendimento sobre doenças e corpo humano.

A ciência da descoberta continua até hoje, incluindo o mundo do software open source. Os princípios de curiosidade, colaboração, meritocracia e independência estão no centro da metodologia experimental e do jeito de ser open source. É por isso que temos sido capazes de desenvolver uma arquitetura moderna que está destravando o potencial de desenvolvedores e empresas para que prosperem na vanguarda da mudança.

Assim como Bacon e seus contemporâneos, não percorremos este caminho sozinhos. Milhares de pioneiros e comunidades levaram o open source além dos limites imaginados, o que fez com que se tornasse mais do que uma metodologia para criar software. Ele cresceu a ponto de se transformar em uma filosofia, um conjunto de valores. O open source, e o jeito de ser do open source, se tornaram sinônimo de pensar além dos limites e explorar um mundo de infinitas possibilidades — juntos.

Um movimento transformacional

Ao adotar o jeito 'open source' de ser, a comunidade ajudou a transformar tecnologias como o Linux, para tornar a vida melhor. Foi ela também que transformou a tecnologia humana — a forma como interagimos e solucionamos problemas coletivamente. O 'open source' se tornou a próxima onda de formas pelas quais geramos verdadeiras inovações com impacto.

Cada vez mais, outros também estão reconhecendo que o open source oferece uma forma melhor de trabalhar. O open source como tecnologia humana está se tornando mais difundido. Empresas, governos e organizações sem fins lucrativos de todo o mundo o estão adotando. Por isso, eu acredito que o open source entrou em uma nova era e está se tornando um movimento transformacional.

Muitas pessoas estão perguntando: como nós imaginamos e concretizamos o potencial que esta tecnologia criou? Como faremos isso como indivíduos? Como faremos como equipes? Como faremos como organizações e, em último caso, como sociedade?

Ainda não sabemos as respostas, mas com experimentação e colaboração continuaremos buscando-as. E apenas por seguirmos fazendo mais perguntas, continuaremos a ampliar nossas possibilidades hoje, amanhã e sempre.

*Jim Whitehurst é presidente e CEO da Red Hat

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail