COMUNIDADE
eletrônicos

EUA aumentam controle sobre aparelhos eletrônicos na bagagem de mão em voos

Passageiros deverão colocar todos os dispositivos maiores que um telefone em bandejas separadas para passar por scanners de segurança

O governo dos Estados Unidos anunciou nesta quarta-feira (26/7) um endurecimento dos requisitos que passageiros devem cumprir para levar, na bagagem de mão, aparelhos eletrônicos maiores que celulares – como laptops, tablets e câmeras, entre outros.

Os passageiros deverão colocar todos os dispositivos maiores que um telefone em bandejas separadas para passar por scanners de segurança dos aeroportos, de maneira similar ao procedimento que é feito há anos com laptops.

A medida começará a ser implementada “nas próximas semanas e meses”, informou em um comunicado a Direção de Segurança no Transporte (TSA), responsável pela segurança nos aeroportos.

Bagagem de mão

O anúncio ocorre após os EUA proibirem, em março, os aparelhos eletrônicos na bagagem de mão em voos sem escalas procedentes de dez aeroportos em oito países de maioria muçulmana: Jordânia, Kuwait, Egito, Turquia, Arábia Saudita, Marrocos, Catar e Emirados Árabes Unidos.

Na semana passada, o governo americano anunciou o fim dessa medida e, ao mesmo tempo, informou sobre um endurecimento na segurança em voos procedentes de 105 países.

A Casa Branca teve conversas com dirigentes da União Europeia (UE) para expandir o chamado “veto eletrônico” a aeroportos do continente, mas por enquanto não obteve sucesso.

Os EUA não confirmaram oficialmente, mas o objetivo destas medidas é impedir a entrada de bombas escondidas em equipamentos portáteis nos aviões.

Em várias ocasiões, o secretário de Segurança Nacional, John Kelly, advertiu que grupos jihadistas como o Estado Islâmico desenharam bombas que se camuflam em dispositivos eletrônicos e que são capazes de passar pelos controles de segurança dos aeroportos.

Comentários

Notícias Relacionadas

Copyright 2017 IT Mídia. Todos os direitos reservados.
É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da IT Mídia.