COMUNIDADE

Projeto com Stara origina produto de IoT da SAP

Sistema de telemetria se conecta ao ERP

A SAP está apresentando ao mercado seu novo conjunto de soluções, o SAP Leonardo, que engloba tecnologias como internet das coisas (IoT, na sigla em inglês), machine learning e analytics, para aplicação a negócios. A ideia era já chegar ao mercado com soluções concretas e uma delas foi concebida após projeto com um cliente no Rio Grande do Sul, a indústria de máquinas e equipamentos agrícolas Stara.

A fabricante alemã não trata a Stara oficialmente como o primeiro cliente do Leonardo no Brasil, mas o fato é que a nova unidade já nasceu com esse cliente. “Foi um portfólio de IoT que migrou para o Leonardo”, comenta Cristina Palmaka, presidente da SAP Brasil.

A relação entre as empresas começou em 2014, quando a Stara implementou soluções de gestão empresarial da SAP. No ano seguinte, a companhia gaúcha decidiu iniciar um projeto para produzir tecnologias para trazer redução de custos e inteligência para processos.

É o chamado projeto “Aquarius”, que contempla um sistema de telemetria em máquinas com computador de bordo para concentrar informações.  Com instalação de sensores, o foco é prover informação em tempo real sobre as taxas de aplicação em plantio, distribuição e pulverização. Em qualquer dispositivo com acesso à internet é possível monitorar as operações, recebendo informações diversas do trabalho, como mapa aplicação, área feita, área aplicada, porcentagem de transpasse, talhões, bandeiras, velocidade média, localização e última atualização.

“O foco era colocar na nuvem uma plataforma em que cliente pudesse acessar todos dados da máquina em tempo real, seja mobile ou web”, explica Rafael da Costa, gerente de TI da Stara, um dos 150 clientes convidados pela SAP para o Sapphire Now, evento da companhia em Orlando (EUA).

Em um dado momento, segundo o executivo, clientes queriam saber como integrar o sistema de telemetria com o ERP. “Não conseguimos resolver sozinho e fizemos essa parceria com a SAP, integrando nosso computador de bordo com a plataforma de cloud da SAP”, conta.

A proximidade com o centro de inovação da SAP, em São Leopoldo (RS), também ajudou. “Em menos de um mês as plataformas já estavam conectadas”. A unidade da SAP no Rio Grande do Sul é um dos três hubs da SAP Leonardo no mundo. Os outros dois são em Nova York (EUA) e Bangalore (Índia).

A solução está disponível desde abril com o nome de SAP Connected Agriculture.”Fomos buscar integração com ERP e acabou virando um produto. Hoje a aplicação está como piloto nos nossos clientes parceiros desde o início de maio.”

Costa não imaginava que o projeto fosse desenvolvido tão rápido. “A velocidade de inovação da SAP é incrível. Um passo deles e clientes precisam correr quilômetros para acompanhar”, brinca.

Apesar de ter ajudado a SAP a criar o produto, o executivo afirma que o maior desafio foi a integração, por isso outras companhias do setor que quiserem uma aplicação semelhante também precisarão passar por esse intenso processo de customização. “A SAP oferece ‘metade’. Imagino também que ela vai buscar se conectar com grandes empresas de químicos,insumos. Também depende de um esforço conjunto da SAP com essas empresas”, finaliza.

*O jornalista viajou a Orlando (EUA) a convite da SAP

Comentários
As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem unicamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da IT Mídia ou quaisquer outros envolvidos nessa publicação.

Notícias Relacionadas

Copyright 2017 IT Mídia. Todos os direitos reservados.
É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da IT Mídia.