COMUNIDADE

Qualcomm premiará tecnologias de impacto em IoT e wireless

Em parceria com CNPq, INPI e CNI, fabricante quer estimular desenvolvimento de soluções na área

A Qualcomm, com apoio institucional do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e Confederação Nacional da Indústria (CNI), lança hoje (29/6) o Prêmio Tecnologias de Impacto, que dará visibilidade para projetos brasileiros inovadores voltados para o desenvolvimento de soluções para internet das coisas (IoT) e wireless. “Queremos apoiar investidores e toda a cadeia de inovação no Brasil”, resume Jaqueline Lee, diretora sênior de Marketing da Qualcomm.

O prêmio selecionará dez projetos, que ganharão uma semana de imersão em laboratórios e centros de inovação na Califórnia, nos Estados Unidos. A viagem será organizada pelo Instituto Euvaldo Lodi – IEL e pela Confederação Nacional da Indústria – CNI.

Poderão se inscrever até 30 de setembro, no site da iniciativa, projetos desenvolvidos por empreendedores, inventores, centros de pesquisa e desenvolvimento e universidades brasileiras. Serão elegíveis para a premiação tecnologias inovadoras baseadas na transmissão de dados wireless e soluções de IoT. A premiação acontecerá no dia 17 de novembro e a viagem de imersão para os Estados Unidos acontecerá em fevereiro de 2018.

As tecnologias serão avaliadas com base em sua relevância tecnológica, grau de inovação e impacto socioeconômico e ambiental. Entre os jurados estarão representantes do INPI e do CNPq, além de executivos da Qualcomm e da CNI.

Sobre a iniciativa, a Coordenadora do Programa de Propriedade Intelectual da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Diana Jungmann, afirmou que a inovação é fundamental para fortalecer a indústria no Brasil e gerar riqueza. “Assim, contribuímos com políticas de inovação mais eficazes e incentivamos empresas a inovarem mais. Essa parceria se encaixa nesse objetivo para podermos apoiar a Qualcomm”, afirmou.

Jorge Ávila, diretor sênior da Qualcomm para América Latina, ressaltou que a companhia quer ajudar e orientar empreendedores, ainda, a efetuar a propriedade intelectual de suas inovações, orientando sobre questões como licenciamento. “Vamos mostrar, também, benefícios da propriedade tecnologia para que eles possam atingir a todos”, completou.

Para Rafael Steinhauser, vice-presidente sênior e presidente da Qualcomm América Latina, a questão de patentes tem sido um entrave da inovação e o papel da fabricante é contribuir para mudar esse quadro. Para se ter ideia, a Qualcomm solicitou, nos últimos cinco anos, 5.243 patentes e a mais recente, protocolada em 2002, foi aprovada apenas na semana passada. “Um país que não tem boa política de patentes, não atrai investimentos. Cada 1% de mais agilidade em patentes equivale a 2,9% de foreign direct Investment (FDI). Há correlação estreita em relação a isso”, avaliou.

Na visão de Steinhauser, a criação de um ambiente sustentável de inovação, passa por quatro questões fundamentais: suporte político, regulatório e proteção de patentes; redução da barreira de consumo e adoção rápida de inovação; investimento em pesquisa e desenvolvimento (P&D); e mercado de capital favorável.

Comentários
As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem unicamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da IT Mídia ou quaisquer outros envolvidos nessa publicação.

Notícias Relacionadas

Copyright 2017 IT Mídia. Todos os direitos reservados.
É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da IT Mídia.