COMUNIDADE

Claro levará 4.5G para SP, RJ e mais oito cidades até dezembro

Smartphones compatíveis com nova frequência começam a chegar ao mercado

A Claro anuncia a ampliação da tecnologia 4.5G para São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Belo Horizonte (MG), Vitória (ES), Porto Alegre (RS), Florianópolis (SC), Curitiba (PR), Salvador (BA), São Luís (MA) e Campinas (SP), até o final do ano. O 4.5G, que já está disponível em Brasília, será implantado gradativamente nessas praças, totalizando 11 cidades ainda em 2017.

Como funciona?

No 4.5G, as velocidades médias de navegação chegam a ser até dez vezes maiores do que o 4G convencional. A tecnologia se caracteriza por três requisitos técnicos que precisam estar disponíveis na rede e também suportados pelos smartphones compatíveis:

Carrier aggregation (agregação de faixas): Permite a consolidação de diferentes faixas de frequência em uma mesma portadora. Com isso, é possível criar uma supervia de transmissão, para navegar com mais velocidade e transmitir mais informação. A tecnologia exige agregação de até 3 faixas diferentes de frequência e exige um mínimo de 30 MHz de largura de banda no canal consolidado.

MIMO 4×4: MIMO (Multiple Inputs Multiple Outputs) 4×4 é um recurso que permite que o enlace de transmissão entre a torre e o smartphone seja feito utilizando 4 antenas de transmissão e 4 de recepção. Na maioria dos modelos disponíveis no mercado são utilizadas 2 antenas para transmissão e 2 para recepção.

Modulação Avançada 256QAM: Esquema avançado de modulação que permite maior eficiência espectral, transmitindo mais bits de dados a cada tempo. Permite que os dispositivos conectados transmitam um volume muito maior de dados simultaneamente.

Smartphones compatíveis

O Galaxy S8 e o S8+, da Samsung e o Moto Z² Force, da Motorola, todos disponíveis nas lojas Claro, são os aparelhos que atualmente permitem aproveitar os avanços disponibilizados pela rede 4.5G da operadora. Ambos oferecem a agregação de 3 faixas de frequência (carrier aggregation) e também maior eficiência nas transmissões, via 256QAM ou MIMO 4×4, o que já permite atingir velocidades superiores onde a tecnologia 4.5G já está comercialmente disponível.

Testes em condições reais de uso permitiram medir conexões que ultrapassam 300 Mbps, cerca de 10x mais que a velocidade da rede 4G tradicional.

Ainda no segundo semestre de 2017, serão lançados outros aparelhos que suportam o 4.5G e todos os seus requisitos técnicos.

Expansão

Paralelamente à implantação do 4.5G, a Claro está modernizando os sites existentes e ativando novas torres de transmissão, o que caracteriza a maior evolução da rede da operadora nos últimos anos.

O esforço e o investimento garantem melhoria imediata na velocidade e qualidade de conexão do usuário, mesmo para quem ainda não tem um aparelho de última geração. Não por acaso, a Claro tem recebido diversas menções que comprovam que sua rede oferece o 4G mais rápido do país. A empresa também tem utilizado a nova faixa de frequência de 700 MHz nas cidades onde já se encontra liberada para uso pelas redes móveis.

A cobertura de rede 4G da Claro também tem evoluído nacionalmente. Até o final de 2017, a operadora terá modernizado em todo o Brasil mais de 9 mil sites, sendo 2 mil sites novos, implantados para melhorar ainda mais a cobertura e a qualidade da rede. “Se compararmos dezembro/2016 a dezembro/2017, a operadora terá ampliado em 231% os municípios que contam com a tecnologia de quarta geração”, explica Teixeira.

Além disso, dados da consultoria Teleco mostram que, atualmente, a empresa atende cerca de 75% da população do país com o 4G. A Claro também lidera em indicadores de qualidade divulgados pela Anatel em 2017.

Com relação a São Paulo a cobertura de rede 4G da empresa também tem evoluído exponencialmente. De janeiro a setembro de 2017, a operadora aumentou em 42% o número de sites no estado e, até o final deste ano, projeta atingir o crescimento de 90%.

Comentários

Notícias Relacionadas

Copyright 2017 IT Mídia. Todos os direitos reservados.
É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da IT Mídia.