COMUNIDADE
Grupo Telefónica investe em mais de 1

Grupo Telefónica investe em mais de 1,5 mil startups e obtém retorno de 40 milhões de euros

O Brasil é o quarto País com maior número de startups apoiadas desde 2012

O Telefónica Open Future, programa global de inovação aberta e empreendedorismo do Grupo Telefónica, contabilizou em 2016 um total de € 166 milhões investidos em 1.532 startups desde o início do programa globalmente, em 2011, quando lançou a primeira aceleradora Wayra.

Do total, a companhia obteve retorno de € 40 milhões sobre o investimento realizado, ou o equivalente a 25%, por meio da venda de sua participação nas empresas que obtiveram sucesso e foram negociadas no mercado.

Além das empresas que participaram do programa de aceleração da Wayra, o montante de recursos inclui investimentos feitos também pelo fundo Telefónica Ventures e pelos fundos Amérigo. No caso da Wayra, a operadora faz investimentos em novas empresas digitais em troca de participação acionária que varia entre 7% e 10%, com possibilidade de conversão por um período de até três anos.

O Brasil é o quarto País com maior número de startups apoiadas desde 2012, quando foi criada a Wayra Brasil, com um total de 58 empresas no acumulado do período. Antes, aparecem Espanha (567 startups), Chile (375) e Reino Unido (120 empresas).

Além da aceleradora, que já investiu R$ 9,2 milhões em quatro anos de operação no país, os Fundos Amérigo, que está em sete países, investiu R$ 40 milhões em seis startups brasileiras, por meio da gestora de investimentos Invest Tech. As startups aceleradas pela Wayra já captaram outros R$ 64,4 milhões junto a investidores externos e 87,1% delas já comprovaram seu modelo de negócio e registra faturamento.

Em 2016, o Open Future cresceu no país e começou a firmar parcerias para a implantação de espaços de crowdworking. Já neste primeiro ano, foram lançados quatro Crowds junto a parceiros de São Paulo, Minas Gerais e Paraná, que apoiam hoje 29 projetos com programa de pré-aceleração.

“A proposta desses espaços é ajudar a impulsionar o talento local e incentivar jovens com vocação empreendedora a colocar em prática suas iniciativas de base tecnológica, fornecendo infraestrutura de espaço, suporte técnico e mentores capacitados a orientá-los no desenvolvimento de um novo negócio”, ressalta Renato Valente, country manager do Open Future no Brasil.

Javier Placer, diretor global do Telefónica Open Future, aponta que em 2017 será mantido o ritmo de trabalho nas 11 aceleradoras Wayra fixadas em dez países. Ele estima que o ritmo de saída das startups deverá crescer.

Comentários

Notícias Relacionadas

Copyright 2017 IT Mídia. Todos os direitos reservados.
É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da IT Mídia.