Home > Notícias

Curitiba usa telessaúde para reduzir fila em neurologistas

Gabriela Stripoli

04/04/2014 às 11h34

Curitiba usa telessaúde para reduzir fila em neurologistas
Foto:

Três meses após Curitiba adotar o serviço de telessaúde – plataforma que permite aos médicos das unidades básicas trocar informações via web com especialistas do Hospital das Clínicas da Universidade Federal do Paraná (UFPR) -, 1.092 casos de pacientes foram discutidos e 150 consultas com neurologistas feitas. Para a prefeitura, o serviço está atingindo o objetivo de aumentar a resolução dos casos na própria unidade básica.

Segundo Marta Borges, médica há cinco anos na unidade básica de saúde Vila Feliz, o médico muitas vezes precisa de uma segunda opinião, e que em 20% dos casos o encaminhamento para um neurologista é necessário.

Para o neurologista Marcos Lange, do HC, a rapidez na consulta especializada contribuiu na investigação clínica e resolução de muitos casos. Antes do telessaúde, explica, eram registradas 30% de faltas nas consultas, ou desaparecimento dos sintomas quando a data finalmente chegava. Com o sistema, é possível realizar a consulta antes que o caso evolua para algo mais complicado.

Com a ferramenta, os profissionais da atenção primária encaminham via e-mail suas dúvidas para especialistas, que têm 72 horas para dar a orientação sobre o caso. A troca tem contribuído para diminuição das filas na neurologia, que agora duram em média duas semanas.

Muitas vezes o paciente é encaminhado já com exames mais simples realizados. Em Curitiba foram feitos no período 149 tomografias solicitadas pelo telessaúde, conta Paulo Poli, diretor de atenção primária da Secretaria Municipal da Saúde.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail