Home > Notícias

Dell espera integração rápida com EMC

Vitor Cavalcanti

03/05/2016 às 13h15

Dell espera integração rápida com EMC
Foto:

Anunciada em outubro do ano passado, a compra da EMC pela Dell deve ser concluída quando completar um ano, ou seja, em outubro de 2016. Até lá, as companhias trabalham fortemente a integração de seus ativos, estudam sinergias e sobreposição de produtos e pessoas. Faltam para finalizar a transação aprovações regulatórias na China - o país é conhecido por não facilitar esse tipo de processo - e também algumas questões junto aos acionistas, já que a EMC se tornará uma empresa de capital fechado, assim como a Dell.

"Quando tudo estiver aprovado, esperamos rápida integração. Será questão de algumas semanas”, calculou Howard Elias, COO e líder da integração Dell-EMC, enquanto falava para jornalistas e analistas ao lado de Rory Read, chefe da integração na Dell, durante o EMC World, em Las Vegas. Read, por sua vez, ao ser questionado sobre a quantidade de demissões após a conclusão dos trabalhos, explicou que as sinergias entre as empresas estão mais no ganho de escala do que na redução do quadro de funcionários, sem compartilhar nenhum número sobre o assunto.


"Estamos combinando duas grandes companhias para dar um salto. Criamos um escritório de integração para que tudo funcionasse bem. Não trata-se de um aquisição, mas de uma fusão para criar algo melhor e maior. Em termos de sinergia, a forma como as empresas operam juntas e a baixa sobreposição de produtos têm ajudado nas aprovações. E nesses casos estamos trabalhando também, mas a escala e a sinergia natural das coisas ajudam muito”, completou Read.

Antes dos executivos que lideram as atividades de integração, Michael Dell, CEO e chairman da Dell, também participou de uma conversa com a imprensa e analistas de mercado, onde defendeu a junção dos ativos e, mais uma vez, reconheceu a grandiosidade da EMC em storage e também no atendimento às grandes empresas. "Tem sobreposição em storage, mas a EMC é um gigante nessa área e a Dell não. Nos demais pontos, somos complementares. Uma é mais do lado do servidor e outra nas tecnologias escaláveis. Muitos dos servidores Dell foram desenvolvidos com base e plataforma EMC”, afirmou.

Joe Tucci, que já havia falado durante a abertura do evento sobre a história da companhia e deixando claro que aquele seria seu último grande evento à frente das empresas da federação EMC, esteve ao lado de Dell durante essa conversa, mas deixou para o executivo o maior espaço nas respostas, se limitando a fazer complementos. Deixou clara a importância dos canais nessa jornada e reforçou que será feito um trabalho muito forte com todos os parceiros. "Quando você olha as empresas que farão parte da Dell Technologies, nenhum outro provedor tem o que será oferecido por ela”, resumiu.

Já ao final da sessão, Dell foi questionado sobre o fato de estar formando um gigante e todos os problemas relativos a gerir uma empresa com tais proporções. O executivo, ao seu melhor estilo, foi enfático ao dizer que ser grande é um problema para quem não inova e não tem agilidade na gestão. 


“E nós temos um modelo de negócio que aproveita muito isso. Nossa estratégia de fechar capital foi acertada nesse sentido. Market share é uma das melhores medidas, depois do fechamento de capital ampliamos a participação em mercados onde os concorrentes perderam. Estamos saindo dos silos de servidores, silos de computação, silos de storage, para trabalhar um mundo hiperconvergente.”

*O jornalista viajou a Las Vegas a convite da EMC

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail