COMUNIDADE

CEO do VivaReal diz como a startup cresceu sem perder sua essência

Lucas Vargas conta, ainda, como a companhia mantém a cultura inabalável

Até pouco tempo, a busca por um imóvel era complexa. O interessado tinha de sair pelas ruas da cidade à procura de um local que estivesse em linha com seus interesses. Mas aí chegaram os sites e os aplicativos que facilitaram o trabalho e centralizaram as opções de forma fácil e intuitiva. O VivaReal é um deles.

Fundado em 2006 por dois empreendedores que se conheceram por acaso na Colômbia, o VivaReal desembarcou no Brasil em 2009, somando, atualmente, 14 escritórios em solo nacional. Em pouco tempo, a empresa saltou por aqui de 60 funcionários para 618, captou mais de US$ 74 milhões em recursos e vê seu faturamento mais do que dobrar a cada ano.

Hoje, posicionada como uma plataforma digital que conecta imobiliárias, incorporadoras e corretores com consumidores que buscam um imóvel, o VivaReal registra mais de 5 milhões de anúncios para compra e locação em mais de mil cidades brasileiras. São mais de 18 milhões de visitas por mês em seu site e aplicativos móveis.

Conhecida e já consolidada em solo nacional, a empresa busca agora mais apoio da tecnologia para aprimorar e facilitar a jornada do consumidor e de toda a cadeia imobiliária na realização do sonho de encontrar um lar doce lar. “Percebemos que precisávamos ajudar o consumidor e fechar a transação e a ficar satisfeito, mas, para isso, deveríamos fortalecer o lado da intermediação, que é o corretor e imobiliária e incorporadora”, lembrou Lucas Vargas, CEO do VivaReal.

Foi quando aconteceu a compra do Geoimovel, especialista em soluções e pesquisas imobiliárias. Como resultado, o VivaReal passou a contar com um banco gigantesco de dados de imóveis usados e lançamentos. A empresa investiu, ainda, na SuaHouse, focada em atender incorporadoras e construtoras na melhoria da sua eficiência de vendas por meio de tecnologia e consultoria utilizando CRM e outras soluções.

Com esses reforços, o VivaReal passou a atuar com base em três frentes: portal de busca de imóveis, tecnologia para gestão de vendas e banco dados de usados e lançamentos. “Assim, agregamos soluções de inteligência de negócios para o setor imobiliário, beneficiando todos os agentes envolvidos no processo de compra ou aluguel de imóveis”, destacou Vargas em conversa com o IT Forum 365.

Valor dos dados
O momento atual do VivaReal, ressaltou Vargas, mira a criação de um inventário para oferecer aos corretores visão de longo prazo para a revenda de imóveis. “Estamos avançando de forma contínua nessa direção”, garantiu ele, completando que a ideia é entregar mais valor por meio dos dados.

Para evoluir na estratégia de dados, o VivaReal conta com um time parrudo de cientista de dados, que organiza e estrutura bilhões de dados para que eles possam ser consumidos por todo o grupo, gerando insights. “Entendemos o comportamento dos usuários e pensamos em produtos”, explicou.


Escritório do VivaReal em São Paulo

Com um time de mais de 200 engenheiros, o VivaReal aposta no desenvolvimento interno de soluções, algo considerado como forte diferencial da empresa no mercado. “Conseguimos entender melhor o usuário e direcionar as iniciativas em torno disso.”

Foco nas pessoas
Para uma startup que cresce rapidamente, cuidar para que a cultura interna não se dissipe é crítico e fator de sucesso. Segundo Vargas, o VivaReal entende que os colaboradores são o motor da empresa, uma herança dos fundadores da companhia. “Eles sempre tiveram como valor mais importante o bem dos colaboradores”, comentou.

Para manter a cultura viva, a empresa coloca em prática uma série de iniciativas, das mais tradicionais às mais inovadoras. Na sede da empresa no Brasil, em São Paulo, o VivaReal mantém, por exemplo, um museu com toda a história da organização até os dias de hoje.

Há, ainda, comemorações diversas, como Festa Junina e Dia das Bruxas. “As iniciativas são importantes. Mas o mais vital, contudo, é garantir uma seleção de talentos alinhada aos nossos valores”, afirmou o executivo de 33 anos, que foi desafiado a manter a chama da cultura sempre acesa desde que assumiu, há um ano, o cargo após a saída de Brian Requarth, que deixou o posto para se dedicar à função de presidente do conselho.

Entre as tantas ações, o VivaReal também promove a interação dos colaboradores com os animais. E o exemplo mais emblemático dessa relação é a Dalila, cachorrinha adotada pela empresa em 2016, que mora no VivaReal e passa as noites e fins de semana na casa dos colaboradores, que se revezam na tarefa.


Dalila, a mascote do VivaReal

Vargas contou que a equipe de Endomarketing já buscava uma mascote para alegrar a empresa, já que pesquisas mostram que a presença de um animal no escritório torna os colaboradores mais alegres, diminui o nível de stress e torna o ambiente mais calmo. Quando encontraram a Dalila, foi amor à primeira vista e ela acabou sendo adotada.

Comentários
As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem unicamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da IT Mídia ou quaisquer outros envolvidos nessa publicação.

Notícias Relacionadas

Copyright 2017 IT Mídia. Todos os direitos reservados.
É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da IT Mídia.