COMUNIDADE

Conhecer necessidades dos clientes do cliente é trunfo da ALE

Estratégia da Alcatel-Lucent Enterprise está apoiada em “transformar-se para transformar”

Nesta semana, a Nokia anunciou que, a partir de agora, tudo fica unificado em seu brand e some a marca Alcatel-Lucent (empresa adquirida em janeiro de 2016). A estratégia de simplificar a exposição beneficiou também a Alcatel-Lucent Enterprise (ALE), que era uma divisão, e se tornou uma empresa independente quando foi vendida pela Alcatel-Lucent em 2014.

Fato é que a semelhança dos nomes confundia muitas vezes atores do segmento e usuários de produtos e serviços de ambas empresas. Mas agora as marcas seguem distintas em um momento de fortalecimento estratégico da ALE, que prossegue no redesenho da sua atuação em sintonia com o digital, que mexeu com os mais sólidos e bem-sucedidos modelos de negócios em todo o mundo.

A lição de casa já vinha sendo feita desde 2015, segundo Nuno Ribas, vice-presidente de Cloud Business da Alcatel-Lucent Enterprise para AL e EUSO. “Precisávamos estar ainda mais conectados aos nossos clientes, para entendê-los melhor e conhecer profundamente o seu business. Estruturamos nosso modelo de negócios, portanto, por verticais, para identificarmos as particularidades de cada uma delas”, diz Ribas, que elenca os setores de Educação, Saúde, Governo, Hotelaria e Transportes como os mais importantes em solo nacional.

Desde então, as soluções da companhia, fornecedora essencial de redes corporativas, comunicações e serviços, vêm sendo adaptadas para cada realidade dos diferentes segmentos da economia. “Atender de maneira ainda mais assertiva às nossas demandas e também prospectá-las levou à modernização dos nossos programas de canais para ajudar nossos parceiros a ingressarem na era digital”, diz o executivo, para quem é vital qualificar a cadeia de negócios.

A empresa, ele prossegue, trabalha fortemente na capacitação dos seus parceiros de negócios no Brasil para oferecer soluções baseadas nos conceitos como Network on Demand, Cloud, Plataform as a Service, Internet das Coisas (IoT) e Comunicações Unificadas as a Service. “Afinal, para obtermos sucesso na transformação do negócio dos clientes, temos de contar com um time transformado, preparado para esse novo mercado”, reitera Ribas.

Arma “secreta”
Além de saber falar o idioma do cliente, segundo Ribas, a arma secreta é conhecer as necessidades dos clientes dele. “Dessa forma, conseguimos ser mais assertivos e entender quais recursos são importantes para viabilizar suas estratégias que visam atrair e reter seus clientes”, ensina.

Não menos importante na cartilha de Ribas está o compromisso de levar o conhecimento para o cliente, ele revela. “Diante de revoluções tecnológicas, é preciso conhecer, de fato, sobre os benefícios de cada tecnologia e seu funcionamento, as tendências, o que melhor se adequa às estratégias do negócio, em um desenho que permita o cliente atingir os objetivos traçados.”

Nessa movimentação, rumo ao fortalecimento da competitividade em uma arena de negócios repaginada a modernização da comunicação como um diferencial importante. “No momento, estamos implementando nossas modernas soluções em uma universidade. Colocamos toda a comunicação na nuvem e agora ela está integrada e agilizando processos. No segundo semestre deste ano, será a vez de a plataforma de Ensino a Distância somar nesse novo desenho. O conhecimento estará consolidado na cloud, com fácil e rápido acesso à informação, proporcionando a evolução da instituição e consequentemente da Educação no País”, revela Ribas.

Comentários
As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem unicamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da IT Mídia ou quaisquer outros envolvidos nessa publicação.

Notícias Relacionadas

Copyright 2017 IT Mídia. Todos os direitos reservados.
É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da IT Mídia.