Home > Notícias

Falso voucher para Páscoa afeta mais de 330 mil pessoas

Ameaças disseminadas via WhatsApp e Facebook prometem descontos de até R$ 800 para compra de chocolates em redes varejistas e lojas populares, alerta o DFNDR Lab

Redação

16/03/2018 às 14h14

whatsapp
Foto:

O DFNDR Lab, laboratório da PSafe especializado em cibercrime, identificou um novo golpe digital que está ganhando escala rapidamente. Desta vez, trata-se de um link malicioso, disseminado pelo WhatsApp, que promete vouchers de até R$ 800 para compra de chocolate para a Páscoa.

O antivírus DFNDR Securitybloqueou, apenas nos últimos dois dias, o acesso de mais de 330 mil usuários à armadilha. Os especialistas da empresa de segurança digital também alertam para a criação de páginas falsas no Facebook com a intenção de imitar grandes redes varejistas e de comércio de doces para levar os usuários a sites de falsas promoções de Páscoa contidos nos posts.

Para passar credibilidade, os links maliciosos solicitam que o usuário responda às seguintes perguntas: “Qual presente é comum receber na Páscoa?”, “O coelho da Páscoa simboliza o quê?” e “Que país festeja a Páscoa com as pessoas fazendo guerra de ovos, em vez de comer os de chocolate?”. Ao responder as perguntas, independentemente das respostas fornecidas, e aceitar o suposto presente, o usuário autoriza o recebimento de notificações de hackers em seu celular.

“Tanto a URL  que está circulando pelo aplicativo de mensagens quanto os falsos e-commerces têm como objetivo roubar dados pessoais e financeiros para depois utilizá-los em outros golpes, como inscrição em serviços pagos de SMS e compras nos cartões de crédito das vítimas”, ressalta Emílio Simoni, diretor do DFNDR Lab.

Para não cair nessas ameaças, o especialista afirma que é preciso adotar soluções de segurança que disponibilizam a função de bloqueio anti-phishing, como o DFNDR Securitycujo sistema é capaz de analisar todas as ameaças existentes no mundo virtual e bloqueá-las instantaneamente.

“Além disso, é importante que o usuário crie o hábito de se certificar se as páginas de promoção e de Facebook realmente pertencem às marcas que elas indicam pertencer”, afirma Simoni.  Essa checagem pode ser realizada pelo site do DFNDR Lab, no serviço de verificação de links, que diz na hora se um endereço da Web é ou não confiável. No caso dos perfis em redes sociais, para não cair em golpes, é recomendável avaliar a quantidade de usuários, data e periodicidade das publicações e até mesmo a interação da página com os clientes.

Tags
Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail