Home > Notícias

Fintech Glebba é pioneira em financiamento de bairros planejados

Empresa residente do InovaBra oferece retorno a investidores de todos os tipos e integra setor em ascensão à economia compartilhada; negócio é regulamentado pelo CVM (Conselho de Valores Mobiliários)

21/01/2019 às 16h03

Foto:

É possível investir em imóveis de bairros planejados de uma forma alternativa e inovadora, sem que a chave da futura casa esteja nas mãos do investidor. A Glebba Investimentos é a primeira e única fintech do Brasil a fazer crowdfunding imobiliário para viabilizar a construção de loteamentos. Por meio de uma plataforma digital, a empresa leva oportunidades de investimento de risco moderado e alto retorno a investidores de todos os portes.

A Glebba oferece produtos nos quais o investidor não precisa de grandes quantias para aplicar o dinheiro. Para investir nos loteamentos pela Glebba, o requisito mínimo, em alguns casos, é ter R$ 1 mil disponível. As vantagens a médio prazo são melhores que as oferecidas nas tradicionais cadernetas de poupança e fundos de renda fixa, como CDI, por exemplo. Em 2019, a fintech planeja captar R$ 20 milhões em 15 projetos de loteamento, além de aumentar a base para 15 mil usuários cadastrados.

Com uma interface 100% online, a empresa diminui etapas burocráticas para a realização de investimentos e é regulamentada pela CVM (Comissão de Valores Imobiliários). Para dar segurança às transações financeiras, a fintech conta com tecnologias que eliminam chances de crimes financeiros.

Apesar de muito representativo na economia imobiliária brasileira, o mercado de loteamentos ainda é desconhecido por muitos e praticamente inexistente na área de investimentos. De acordo com dados do Secovi-SP (Sindicato da Habitação), entre 2015 e 2016, esse setor lançou 67,4 mil unidades habitacionais, enquanto as incorporadoras de prédios construíram 109,6 mil.

Os bairros planejados estão em ascensão no mercado imobiliário brasileiro. Segundo a “Pesquisa do Mercado de Lotes Urbanizados no Estado de São Paulo”, só no Estado de São Paulo houve um aumento de 38% no setor, no comparativo com o mesmo período de 2017. O levantamento também foi feito pelo Secovi-SP (Sindicato da Habitação), em parceria com a Aelo (Associação das Empresas de Loteamento e Desenvolvimento Urbano) e a consultoria Brain (Bureau de Inteligência Corporativa).

No berço da inovação

Residente do InovaBra de São Paulo, um dos principais centros de inovação do país, onde a empresa compartilha experiências e soluções com outras dezenas de startups, a Glebba conta hoje com cerca de 1 mil usuários cadastrados. A fintech é a primeira a quebrar com as tradições do setor de loteamento e integrá-lo à economia compartilhada.

A expertise no mercado imobiliário e a sede por inovação estão no DNA da Glebba. A fintech foi criada em 2017 pelos empreendedores Francisco Perez e Maurício Carrer. Francisco possui vasta experiência em inovação, tendo trabalhado por mais de 30 anos com aceleração de startups, fundos de Venture Capital e, mais recentemente, entrou para o mercado imobiliário. Foi onde conheceu Maurício, arquiteto urbanista com mais de 10 anos de experiência em uma das maiores empresas de loteamento do país

Para abrir a empresa em moldes ousados e inovadores, eles contaram com a Instrução da Comissão de Valores Mobiliários nº 588, de 13 de julho de 2017, que regula a oferta pública de distribuição de valores mobiliários de emissão de sociedades empresárias de pequeno porte. O serviço oferecido é uma solução para os loteadores, já que, durante anos, não há um produto financeiro específico para financiamento a produção de loteamentos, diferentemente do que ocorre no mercado de incorporação imobiliária.

Com sua experiência nos setores financeiro, jurídico e imobiliário, o time da Glebba criou sua própria modelagem financeira, avaliando, por meio de uma série de fatores, o risco e o retorno de cada empreendimento para selecionar apenas os mais certeiros e incluí-los em seu portfólio.

Como funciona?

O investimento pode ser feito por pessoas com mais de 18 anos que tenham conta em qualquer banco e possuam interesse em investir em ativos imobiliários. O usuário realiza seu cadastro na plataforma, e passa a ter acesso às ofertas e todas as informações a ela relacionadas. A partir daí, é só escolher uma das ofertas, informar o valor a ser investido e pronto. Em seguida, o investidor receberá em seu e-mail o contrato de investimento para assinatura eletrônica e receberá um boleto para transferir o capital.

Os investidores ainda podem acompanhar o desempenho do seu investimento pela plataforma, e ao final do prazo, o valor investido e rentabilidade serão devolvidos à conta bancária informada no cadastro.

 

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail