COMUNIDADE
Paulo Padrão imprime novo ritmo na gestão da Infor

Paulo Padrão imprime novo ritmo na gestão da Infor

Depois de sete meses na posição, executivo começa a colher frutos positivos após mudanças estabelecidas com sua chegada

Os últimos sete meses foram intensos para Paulo Padrão, vice-presidente da Infor para América Latina. Desde que assumiu a posição, ele tem-se empenhado para organizar a casa e crescer. Os resultados, segundo ele, já começaram a aparecer. Após entender os processos da Infor no Brasil, ele decidiu, em conversas com o time, substituir os líderes de cinco diretorias: pré-vendas, finanças, legal, consultoria e RH. 

“A ideia era engajar todos no projeto de refletir no País a grandiosidade da Infor nos Estados Unidos e na Europa”, contou o executivo em entrevista ao IT Forum 365. Em seguida, optou-se pela ampliação do time de vendas, que foi duplicado, e o de consultoria, que foi triplicado. 

Os sinais de crise não assustam a Infor no Brasil, afirma o executivo. Hoje, o Brasil representa entre 40% e 45% dos negócios da empresa na América Latina, com México em seguida e Colômbia destacando-se como forte promessa de expansão. “É no atual momento que as empresas buscam maneiras de reduzir custos e otimizar processos para ganhar agilidade e a TI está em linha”, observa. É dessa forma que a fabricante afirma se destacar dos concorrentes ao ajudar os clientes a enxergarem maneiras de serem mais eficiente.

A estratégia com a chegada de Padrão é a de acelerar o crescimento dos negócios e conquistar das médias empresas até as grandes com soluções diversas, muito além do tradicional software de gestão empresarial (ERP, na sigla em inglês), que popularizou a Infor no mundo. “Recentemente, ampliamos a linha de produtos no Brasil. Antes, por exemplo, não trabalhávamos de forma ativa a oferta de CRM e agora estamos”, diz.

Outra tática colocada em prática foi realizar ações para geração de demanda, com a participação, por exemplo, em eventos para gerar oportunidades reais de negócios. “Com a redefinição do nosso go to market, conseguimos multiplicar nosso pipeline”, aponta, sem revelar números. O executivo indica que o terceiro trimestre fiscal da empresa, que começa em novembro, tem boas perspectivas, não só em crescimento como em base instalada. 

Ele detalha que, atualmente, a companhia conta com quatro principais linhas de produtos que são o foco da companhia para os próximos dois anos. A primeira é o ERP, a segunda o Warehouse Management System (WMS) Supply Chain, a terceira o Gestão de Ativos e Manuteção (EAM, da sigla em inglês) e a última o CRM. 

Questionado se o ERP é responsável pela maior fatia dos projetos da Infor no Brasil, Padrão aponta que geralmente ele está entre os maiores em tamanho, mas implementações de ferramentas para aprimorar a cadeia de suprimentos estão em alta por uma série de razões, como a privatização de portos e a necessidades de otimização de cadeias varejistas, que cada mais vez integram os sistemas de seus fornecedores ao seus ambientes.

Ouvidoria
A criação da área de ouvidoria, diz Padrão, também tem gerado bons resultados para a Infor. A unidade funciona de forma independente dos projetos e é composta por pessoas não-técnicas que focam no atendimento ao cliente.

Funciona da seguinte forma: ao fechar a compra de soluções, a área entra em contato com o cliente para saber se ela recebeu as licenças e se tudo correu bem. Depois do go-live, novamente a equipe da unidade procura pelo cliente para identificar o sucesso da iniciativa. “Ao sermos pró-ativos, conseguimos fechar novos projetos e estamos observando ótimos resultados na área”, comemora.

Pronta para a nuvem
O perfil inovador do CEO global da Infor, Charles Phillips, tem contribuído para a aceleração dos negócios em todo o mundo. Famoso pela frase “Amigos não deixam amigos construir data centers”, Phillips acredita no potencial da nuvem e as recentes movimentações da empresa compram isso, como é o caso da compra da GT Nexus, plataforma de comércio global baseada em nuvem.

Padrão relata que todas as soluções da Infor estão prontas para a cloud. Atualmente, a empresa tem parceria preferencial com a Amazon Web Services (AWS) para oferecer o serviço, mas o cliente tem a liberdade de escolher qual cloud deseja manter seus sistemas. 

O executivo observa uma migração acelerada para o modelo. “A TI do passado entendia que poder era contar com diversas máquinas sob sua gestão. A TI de hoje, que está em linha com as áreas de negócios, não quer mais ter máquinas sob seu controle para poder inovar”, finaliza.
Comentários
As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem unicamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da IT Mídia ou quaisquer outros envolvidos nessa publicação.

Notícias Relacionadas

Copyright 2017 IT Mídia. Todos os direitos reservados.
É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da IT Mídia.