outsourcing

Automação impacta mercado de outsourcing

Estudo da ISG indica que modelo gera economia de custos, mas traz desafios

O avanço da inteligência artificial (AI, na sigla em inglês), robôs e outros tipos de automação estão na mira do mercado de outsourcing. Isso porque, de acordo com o Global Sourcing and As-a-Service Market Insights, estudo da ISG, o modelo vai impactar a terceirização.

Dados relativos ao primeiro semestre de 2017, divulgados em julho, indicam que, pressionados por produtividade e redução de custos, organizações estão partindo para a automação.

O levantamento indica que a automação promoverá redução de custos de 24% a 80% nos próximos dois anos, comparado com a eliminação de 5% a 10% do modelo tradicional. Haverá, nos próximos 24 meses, um investimento duas vezes superior em automação e AI em processos de negócios de missão crítica. “Isso, contudo, fará com a demanda por outsourcing e offshoring caia”, alerta Andreas Lüeth, sócio da ISG.

Diante do quadro, Lüeth indica que em vez de usar a terceirização, companhias investirão em robôs. “A pergunta agora é: como extrair o máximo da automação? Haverá aproveitamento internamente, ou por meio de parceria com grandes players de automação? A área de AI é muito grande e com certeza é possível criar capacidades internas”, observa.

Salto do IaaS

Lüeth indica que o relatório atual mostrou que dentro do as a service haverá o crescimento acelerado da modalidade infraestrutura como serviço (IaaS, na sigla em inglês). No período estudado, o modelo somou receita global de US$ 6,1 bilhões, sendo a região das Américas responsável por pouco mais da metade dessa fatia, com US$ 3,2 bilhões. Na região, serviços financeiros e manufatura continuam liderando a adoção do modelo tradicional de sourcing. Enquanto serviços profissionais têm apostado mais no as a service.

Embora o modelo as a service represente, hoje, 40% do mercado global, Lüeth revela que o modelo tradicional de sourcing, ao contrário do que se esperava, cresceu. “Esse salto, no entanto, não é sustentável. O mercado aponta para uma expansão cada vez maior do as a service”, reforça.

O que esperar?

Segundo Lüeth, a expectativa da ISG para o segundo semestre é de que o modelo as a service continue em sua jornada de ascensão, com destaque para Américas e Ásia-Pacífico. Haverá, ainda, retomada do crescimento da Europa. IaaS seguirá sua trilha de expansão.

Apesar do cenário positivo, o olhar é de cautela. “Empresas estão atualmente com o dilema de manter o legado, em função dos custos, ou atualizar suas estruturas”, comenta. Ele sinaliza para o fato de que as companhias estão adotando uma postura mais conservadora para atualizações imediatas muito em função do quadro político-econômico em algumas regiões.

Comentários
As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem unicamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da IT Mídia ou quaisquer outros envolvidos nessa publicação.

Notícias Relacionadas

Copyright 2017 IT Mídia. Todos os direitos reservados.
É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da IT Mídia.