Home > Colunas

Inteligência Artificial e videomonitoramento à serviço da produtividade

Ferramenta junta-se ao arsenal tecnológico das empresas, que buscam revolucionar seus negócios

Maurício Ciaccio*

28/06/2019 às 8h56

Foto: Shutterstock

Ainda estamos nos acostumando a relacionar Inteligência Artificial (AI), Reconhecimento Facial e videomonitoramento à proteção. Mesmo assim, já temos uma certa familiaridade com as experiências que já foram desenvolvidas em função de projetos focados em proteção tanto pública, quanto corporativa.

O que ainda não estamos ambientados é linkar estes termos à eficiência, otimização de processos e recursos, além do aumento de produtividade. Pensando em oferecer uma melhor experiência para os clientes e, claro, tornar-se mais competitivas, muitas empresas apostam em vídeo-monitoramento inteligente para ter mais controle sua operação.

A China, por exemplo, usa inteligência artificial para controlar restaurantes. Desde janeiro deste ano, mais de 1,7 mil câmeras foram instaladas em 800 restaurantes do distrito de Minhang, dentro de um plano que pretende garantir a segurança alimentar. A tecnologia inclui funcionalidades que permitem medir a temperatura, a umidade e detectar práticas ruins dos cozinheiros.

Por meio do reconhecimento facial, as câmeras também detectam a presença de pessoas não autorizadas na cozinha. Quando acontece alguma inconformidade com os parâmetros configurados, um alerta é emitido para uma central. E não é só isso: os equipamentos também detectam seres que não deveriam estar ali, como ratos. A perspectiva é que, em breve, a solução poderá detectar animais menores, como baratas.

A ferramenta também garante a qualidade, controle e produtividade do trabalho. Grandes redes de restaurantes possuem processos de produção extremamente rígidos, tudo isso para garantir a maior eficácia possível dentro do trabalho. Com o monitoramento, é possível visualizar se os profissionais estão agindo dentro do combinado e corrigir procedimentos que não estão atingindo o resultado esperado.

Outro bom exemplo é que, recentemente, uma empresa de aplicativo de transporte anunciou a checagem de motoristas via reconhecimento facial. Isso fez com que mais uma camada de segurança fosse instalada na operação, o que possibilita uma experiência melhor e mais segura tanto para o usuário final, quanto para os motoristas parceiros.

O reconhecimento facial se junta agora às demais ferramentas tecnológicas para aumentar a produtividade das companhias. Assim, fica mais fácil oferecer melhores serviços e produtos por um preço cada vez mais acessível. Com processos equilibrados e eficientes, todos nós saímos ganhando.

*Maurício Ciaccio é graduado em Publicidade e Propaganda e com MBA em Vendas e Marketing, Maurício Ciaccio acumula 30 anos de experiência no Mercado de Segurança Eletrônica e foi presidente da Associação das Empresas de Segurança Eletrônica de Pernambuco. Com vários textos publicados em revistas especializadas, atualmente ocupa o cargo de Diretor Comercial na Avantia Tecnologia e Engenharia.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail