Home > Notícias

Justiça de São Paulo regulamenta uso de WhatsApp para envio de intimidações

Guilherme Borini

23/12/2016 às 12h04

Justiça de São Paulo regulamenta uso de WhatsApp para envio de intimidações
Foto:

A Justiça Federal de São Paulo regulamentou o envio de intimidações de partes via WhatsApp. De acordo com o Tribunal Regional Federal da 3ª Região, a medida foi adotada mediante à necessidade de modernização adequação dos setores públicos à nova realidade de serviços de comunicação.

O procedimento de intimação de partes via aplicativo, instituído no dia 9 de dezembro, vale no âmbito dos Juizados Especiais Federais (JEFs) e Turmas Recursais da 3ª Região. No momento do protocolo do pedido inicial, o autor da ação terá a oportunidade de assinar o termo de recebimento das intimações via aplicativo de mensagens

O Tribunal explica que as intimações serão encaminhadas a partir dos números de telefone celular utilizados exclusivamente pelos JEFs e Turmas Recursais, os quais serão divulgados no site do JEF. O artigo 3º da resolução determina que o autor deve assinar, no momento do protocolo do pedido inicial no setor de atendimento do juizado, o termo de recebimento das intimações via WhatsApp.

A norma também estipula que os jurisdicionados cadastrados com pedido inicial pelo Sistema de Atermação Online (SAO), sem o comparecimento pessoal, ou aqueles autores de processos em andamento nos JEFs e Turmas Recursais serão intimados via aplicativo de mensagens sempre que tiverem registrado no sistema o número de celular com aplicativo WhatsApp instalado.

Segundo a resolução, caberá à parte se manifestar expressamente nos autos, caso não tenha interesse em ser intimada pelo WhatsApp, quando o processo está em curso ou o envio do pedido inicial foi feito pelo Sistema de Atermação Online (SAO). A manifestação expressa poderá ser feita no pedido inicial ou em manifestação avulsa no curso do processo.

Na mensagem enviada, constarão a identificação da Justiça Federal, o número do processo e o nome das partes. A intimação será considerada realizada no momento em que o aplicativo indicar que a mensagem foi lida.

Se a mensagem não foi lida no prazo de 48 horas, a secretaria do JEF ou da Turma Recursal providenciará a intimação por outro meio previsto em lei, conforme o caso. Confira a Resolução nº 10, de 06 de dezembro de 2016 publicada pela Coordenadoria dos Juizados Especiais Federais da 3ª Região.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail