Home > Notícias

Metade dos talentos de TI do governo ocupará funções que não existem

A maioria das novas soluções tecnológicas governamentais será entregue e suportada usando um modelo XaaS

Redação

06/03/2019 às 18h42

Foto: Shutterstock

Recente pesquisa do Gartner mostra que a transição para o governo digital está ganhando força. Constatou-se que 53% das iniciativas digitais em organizações governamentais passaram do estágio de estudo para os estágios iniciais de fornecimento de resultados digitalmente orientados. No ano passado, esse índice era de 40%.

Além disso, 39% dos governos esperam que os serviços em nuvem sejam uma área de alto investimento em 2019. “Essas descobertas demonstram que a liderança se tornou mais confortável com os modelos de entrega na nuvem e se afastou das antigas preocupações de segurança e propriedade de dados”, disse Cathleen Blanton, vice-presidente de pesquisa do Gartner.

“A mudança para o negócio digital significa que a TI precisa se adaptar”, completou Blanton. “Em muitos governos, as funções de analistas de dados e arquitetos de nuvem já estão presentes. No entanto, 38% dos entrevistados do governo não geraram novos papéis em 2018 devido à insuficiência de recursos, habilidades e questões culturais”, alertou.

Para se adaptar às novas habilidades, os CIOs precisam iniciar um processo de transformação que resulte em funções novas ou reestruturadas. Por exemplo, à medida que os serviços na nuvem se tornam mais predominantes, o número de funções de gerenciamento de data center é reduzido. Além disso, o surgimento da gestão de produtos digitais está mudando a forma como os governos pensam sobre seus serviços, e isso levará ao surgimento de equipes digitais internas para projetar e entregar produtos.

No futuro, a TI no governo também realizará tarefas mais diversificadas do que hoje. As agências do setor público dependerão dos serviços governamentais de TI para abordar a inclusão, a experiência do cidadão e a ética digital. Esses campos exigem novos tipos de habilidades, como pesquisadores, designers e cientistas sociais. “CIOs do governo devem empregar especialistas para modelar e explicar como cidadãos e empresas precisarão responder a regulamentos e políticas, e que impacto isso terá sobre a sociedade, a economia e as receitas do governo”, disse Blanton.

Crescimento do modelo ‘tudo como serviço’

O Gartner prevê que, até 2023, mais de 80% das novas soluções tecnológicas adotadas pelos governos serão entregues e suportadas usando um modelo "tudo-como-serviço" (XaaS).

O XaaS resume várias categorias de TI, incluindo aquelas entregues na nuvem como um serviço baseado em assinatura. Ele também engloba desktops gerenciados, help desk e serviços de rede, voz sobre IP e comunicações unificadas.

Segundo o Gartner, em razão desse cenário, CIOs do segmento devem educar as unidades de negócios sobre os riscos associados a esse tipo de contratação e precisam assumir um papel ativo na negociação desses contratos sempre que possível. Sem o suporte e a experiência da TI, uma solução XaaS pode criar riscos significativos para a organização e os cidadãos que ela atende.

 

Tags
Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail