Home > Notícias

O combate às fraudes de impostos na palma da mão

A tecnologia pode ajudar a evitar fraudes na arrecadação de impostos no Brasil

Marcelo Annarumma*

12/03/2019 às 17h46

Foto: Shutterstock

Passados os primeiros meses do início de 2019, é possível perceber um maior clima de otimismo e confiança por parte dos brasileiros, sejam eles empresários ou trabalhadores. No entanto, ao mesmo tempo em que o Índice de Confiança do Empresário Industrial, apurado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), atingiu em janeiro o maior valor desde junho de 2010, ainda identificamos ameaças que não são exatamente novas a esse movimento de renovação e positividade.

Uma delas, que tem impacto real nas contas dos municípios, estados e federação, é a sonegação de impostos. De acordo com levantamento do Sindicato Nacional dos Procuradores da Fazenda Nacional (Sinprofaz), o Brasil deixou de arrecadar R$ 345 bilhões em 2018 por conta desse fator, enquanto outra pesquisa, do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT) mostra que 27% das grandes empresas, 49% das médias e 65% das pequenas não estão em dia com os tributos.

Os dados são alarmantes, prejudicam a todos e devem ser tratados com urgência. As fraudes de impostos representam desafio a ser enfrentado de frente e exemplos de como fazê-lo não faltam mundo afora. Um dos mais claros é a adoção de tecnologia como forma de combater a sonegação.

Recentemente, o estado do Alabama lançou um Programa Avançado de Proteção de Identidade capaz de comprovar com segurança a legitimidade de declarações de seus impostos, viabilizando o reembolso até 60% mais rápido. Pode parecer algo extremamente complexo, mas estamos falando de um aplicativo gratuito chamado eID, disponível para os mais populares sistemas operacionais.

Seu uso é simples: os contribuintes tiram uma selfie e fotografam sua carteira de motorista ou documento de identidade, que são autenticados digitalmente pela Agência de Cumprimento de Lei do Alabama (ADOR). O cruzamento de dados do órgão estadual acusará eventuais duplicidades de informações e cadastro, além de proteger a identidade do cidadão e de suas declarações fiscais. Por meio desse recurso, em apenas dez meses foi possível identificar mais de 177 mil casos de roubo de identidade.

Esse é somente um exemplo de como a tecnologia pode nos ajudar, como nação, a enfrentar problemas recorrentes. Em vários casos, a solução pode estar na palma de nossas mãos, em recursos simples como um aplicativo que garante que você é você mesmo – e mais ninguém – por meio da biometria.

*Marcelo Annarumma é presidente para América Latina da Idemia

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail