Home > Colunas

Por que as novas gerações precisam priorizar um segundo idioma?

O mercado de trabalho está concorrido, e seu futuro só depende de você. Pense nisso!

Raphael Ruiz

18/07/2019 às 19h32

Accenture prepara formação técnica para jovens da rede pública de ensino
Foto: Shutterstock

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a taxa de desemprego no Brasil ficou em 12,4% nos primeiros meses do ano de 2019, atingindo 13,1 milhões de pessoas. Ao todo são mais de 7 milhões de jovens brasileiros subutilizados, índice considerado alto desde que a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad) começou a ser realizada, em 2012.

Nesse cenário cheio de incertezas políticas e econômicas, um dos pontos de atenção é o aprimoramento de suas qualificações profissionais, e isso engloba o estudo de um outro idioma. Segundo um levantamento realizado pelo Catho, site de empregos, apenas 27,6% dos profissionais investem em cursos de idiomas atualmente.

Índice considerado baixo se compararmos com os benefícios que esse upgrade no currículo pode trazer para cada candidato. O estudo ainda aponta que apenas 5% da população brasileira fala uma segunda língua e menos de 3% têm fluência em inglês.

Embora esses dados ainda passem despercebido pela maioria, no mundo corporativo o que se enxerga são vários candidatos sendo desclassificados por um único motivo – falta de fluência em um segundo idioma. O que antes era considerado um diferencial, hoje é um item imprescindível e de grande valia para os recrutadores – e para mim, isso tem que ficar em alerta na cabeça da nova geração.

Outro ponto importante está ligado às informações que são disponibilizadas em seu currículo. Uma pesquisa realizada pela DNA Outplacement, empresa especializada em transição de carreira, aponta que de 6 mil currículos, 75% dos brasileiros mentem na hora de redigir um CV.

Isso é totalmente prejudicial não só à empresa, mas também à carreira que deseja construir. Hoje existe um Projeto de Lei no país que penaliza aqueles que optam seguir por esse caminho, ocasionando em multa e reclusão de dois a seis anos.

Novos horizontes

A verdade é que ter um idioma no currículo pode abrir portas para milhares de novas oportunidades. É por meio dele que você pode conquistar aquela vaga dos sonhos, alavancar sua carreira e crescer profissionalmente, entre outros benefícios.

Costumo orientar os alunos que frequentam a Beils, por exemplo, que ter a noção da importância do idioma inglês é o primeiro passo e pensar no aprimoramento e no universo de chances que seguem junto com o estudo é essencial para que dê certo. Ter segurança e nunca perder a vontade de aprender são características que ajudam expandir os horizontes profissionais.

A dificuldade de investimento existe para todos, mas no mercado é possível encontrar escolas e cursos que têm como principal objetivo atingir a parcela da população que, de alguma forma, não consegue ou não pode arcar com os altos custos dos cursos tradicionais.

Por isso, vale pesquisar e avaliar aquele que melhor se encaixa no seu orçamento. O que não pode é deixar de estudar e investir no seu futuro profissional. O mercado de trabalho está concorrido, e seu futuro só depende de você. Pense nisso!

*Raphael Ruiz é professor de inglês, idealizador e CEO da Beils, escola de inglês focada em oferecer uma experiência única, que une alta qualidade com valores acessíveis para todos.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail