Home > Colunas

Quatro orientações antes de pedir um aumento de salário

"O profissional deve ter em mente que a conquista deve estar ligada aos resultados obtidos", explica Celso Bazzola.

Celso Bazzola

16/07/2019 às 20h54

Foto: Shutterstock

Todos os profissionais almejam ter um melhor salário, porém em momento de crise essa expectativa se reduz, sendo considerado muito difícil atingir esse objetivo, mas não impossível.

Segundo o diretor executivo da Bazz Estratégia em RH, Celso Bazzola, a solicitação de aumento pode ser tentada mesmo nesse momento, desde que se estabeleça uma estratégia prévia.

O profissional deve ter em mente que a conquista deve estar ligada aos resultados obtidos. Respeitando a política salarial e o momento da empresa. Ter a sensibilidade para requerer este reajuste e saber o melhor momento torna-se fundamental, se deve criar um ambiente de ganha a ganha”, explica.

Dentre os motivos que podem potencializar as chances de um aumento estão o desenvolvimento e formação, tempo de trabalho, desempenho. Porém, para Bazzola, um dos pontos importantes é a avaliação pelo resultado. Isto é, o quanto a atuação do trabalhador agrega ao resultado da empresa, tendo a capacidade de alinhar desempenho profissional e integração proativa ao grupo.

A seguir, confira algumas orientações que Celso Bazzola preparou sobre o tema.

Hora certa

Normalmente, as empresas tem suas políticas de remuneração e carreira, assim, em vez de pensar no melhor momento, se deve pensar que cada ação e resultado pode proporcionar o melhor momento para o pedido. O profissional se deve se mostrar preparado para os desafios tanto tecnicamente como comportamental, se mostrando apto às oportunidades.

Geralmente, o crescimento da empresa no que você teve contribuição, se torna o melhor momento. Mas se deve respeitar e conhecer as políticas da empresa que nortearão esse pedido.

Com lidar com o superior

Sempre uma conversa sobre reajustes salariais deve ser realizada em momentos oportunos, com locais adequados e de preferência de maneira bem amigável. O debate deve ser de forma transparente, onde as partes expõem sua visão e necessidades garantindo a possibilidade do feedback para se chegar a um consenso seja lá qual for.

Um ponto importante é ter clareza nos objetivos, sem deixar de ser flexível. Também é fundamental a confiança, tanto na hora de pedir, tanto na relação com o superior. Independente do resultado do pedido, passe uma imagem profissional. Lembrando que os valores devem seguir os padrões do mercado.

Lidando com promessas

Muitas vezes o resultado da conversa serão promessas, mas como fazer com que essas sejam respeitadas? Sempre se deve cumprir promessas profissionais, porém, é necessário levar em conta o momento da empresa. O que pode parecer fácil hoje amanhã pode se tornar impossível. Portanto, faça a sua parte no sentido de resultados, desempenhos, posturas e se atente a prazos e ao que foi prometido.

Ponto importante é documentar o que foi acordado, o que facilmente pode ser feito por meio de e-mail, com o detalhamento do proposto, pois há um documento assegurando o acordo da negociação. Caso as promessas não sejam respeitadas é importante a realização de uma conversa mais franca, analisando os motivos. Se houver persistência no ato de não cumprimento, se deve avaliar uma possível mudança de rumo profissional

Desculpas e ameaças

A crise não é motivo para voltar atrás, mas pode ser para repensar as bases negociadas. Nos períodos de dificuldades a flexibilidade é parte fundamental da habilidade profissional. Se a empresa está em dificuldade se deve repensar reajustes salariais e o profissional deve estar pronto e aberto para novos posicionamentos.

Em relação a negociação, sempre sugiro uma ação mais transparente e argumentativa dos motivos que levam ao pedido. Ameaçar a empresa na tentativa de sucesso no reajuste salarial é demonstrar que seus objetivos pessoais estão acima de suas responsabilidades. O caminho mais adequado sempre é a negociação entre as partes.

*Celso Bazzola, diretor da Bazz Estratégia em Recursos Humanos.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail