Home > Colunas

Robôs não dominarão só empregos considerados automatizáveis hoje

Será que o seu está livre?

Mateus Baumer*

04/04/2019 às 9h07

Foto:

Há uns 14 anos, quando morei na Austrália, trabalhei em vários lugares. Um deles, uma processadora de vegetais, onde minha função era receber pacotes preenchidos pelos colegas e verificar se cada pacote de vagem estava pesando exatamente 1 kg, ajustar a quantidade quando necessário, e depois selar o pacote. Há cerca de um ano, estava na Google e, em uma apresentação, conheci uma máquina que selecionava vegetais não só pelo peso, mas também pela aparência, tamanho e cor. A máquina era integrada a um serviço deles na nuvem. Ou seja, se um dia eu tiver um filho e ele quiser seguir os passos do pai, vai ter que pensar em outro tipo de trabalho na terra dos cangurus, pois sem dúvida esse não existirá mais.

Sim, os robôs também ganharão espaço naqueles setores que, hoje em dia, ainda são totalmente dominados por humanos e onde pouco se conseguiu automatizar, como nos controles de qualidade de fazendas, fábricas e processos produtivos. Muitas fábricas super automatizadas ainda hoje têm sua área de controle de qualidade bastante manuais.

Além do setor agrícola, os robôs ainda têm muito espaço a conquistar em outras áreas, como na manutenção doméstica. Em um futuro não muito remoto, teremos geladeiras, fogões, máquinas de lavar que fazem autodiagnostico. Isso mesmo! Por exemplo, sua geladeira poderia enviar uma mensagem por WhatsApp avisando que, por ter identificado um defeito na ventoinha, mandou imprimir a nova peça na sua impressora 3D. O objetivo da mensagem será checar se você mesmo vai trocar a peça quando chegar em casa, ou se ela deve acionar um técnico.

Se decidir por trocar sozinho, a geladeira vai enviar um tutorial em forma de vídeo. Caso contrário, vai perguntar se você prefere contratar o técnico mais barato ou mais rápido para fazer isso por você.

Uma das principais redes de 'fast food' do mundo, com atuação no Brasil, já começou a automatizar o atendimento ao cliente. Em São Francisco, nos Estados Unidos, foi inaugurado já há quase dois anos o Cafe X, um quiosque em que a bebida é servida por um robô, sem intervenção humana.

Se você pensava que os robôs dominariam empregos apenas em lugares mais "óbvios", como a linha de produção da indústria automobilística ou empresas de tecnologia, pare de se iludir. Chegou a hora de parar para pensar se sua função também pode ser substituída, e de agir para aproveitar essas ondas de automação e não ficar para trás.

Meu objetivo não é assustar ninguém, mesmo porque sempre existirá um limite nas ondas de automação, por mais fortes que sejam. Sempre haverá uma maneira para as pessoas se adaptarem aos novos cenários do mercado de trabalho. Mas, para isso, você precisa estar atento a todas as mudanças que já chegaram e àquelas que ainda estão por vir. Antecipar-se e estar preparado sãos os primeiros passos para que essa adaptação ocorra de maneira tranquila. Portanto, não se assuste, mas esteja sempre antenado e bem informado!

Lembre-se, para atingir tais estágios de automação, muita gente vai ter que desenvolver tecnologia e implementá-las. Será que você não pode ser uma delas?

*Mateus Baumer é sócio e responsável pela Diretoria de Marketing e Vendas da BlueLab

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail