Home > Notícias

Scipopulis é adquirida pela green4T e integra projeto de smart city

Aquisição aconteceu na última segunda-feira, 5, e deve impulsionar projetos de cidades inteligentes no Brasil.

Wellington Arruda

09/08/2019 às 13h12

Foto: green4T/Divulgação.

A green4T realizou na última segunda-feira (5) a aquisição da startup Scipopulis, voltada para integração e análise de dados para cidades inteligentes e soluções de mobilidade urbana.

No processo, a Scipopulis foi avaliada em aproximadamente R$ 11,5 milhões. Em 2018, ela foi selecionada como uma das "100 Startups to Watch" da revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios, além de acumular uma série de premiações.

Para a green4T, a aquisição trará uma série de benefícios. A Scipopulis trabalha com desenvolvimento de plataformas de software para análise de dados. Ela tem como clientes o Banco Mundial, Banco Interamericano de Desenvolvimento, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET-SP) e o Instituto de Energia e Meio-Ambiente.

Dentre as soluções oferecidas está a ferramenta Painel do Ônibus, voltada para monitoramento do transporte público em tempo real, planejamento e operação do sistema de transporte das cidades.

O CEO da green4T, Eduardo Marini, destaca que quando a tecnologia é "bem desenvolvida e implementada, tem um enorme potencial de melhorar a qualidade de vida do cidadão em diversas dimensões".

Desta forma, a integração levará novos desenvolvedores à startup Scipopulis para integrar o time. No quadro geral, ambas poderão se aprofundar em projetos de soluções para cidades inteligentes, o que inclui mobilidade urbana e segurança.

Na parceria, acrescenta Ivo Pons, a green4T "ganha força com uma solução mais completa na transformação da cidade em uma smart city". A Scipopulis, por sua vez, "ganha um alcance e abrangência muito maior no Brasil e América Latina", diz o executivo.

Cidades inteligentes e sustentáveis

Para que uma cidade se torne mais inteligente, um grande tráfego de dados precisa ser comportado. Um estudo do World Economic Forum indica que mais de 70% da população mundial deverá viver nas cidades. No Brasil, de acordo com o Banco Mundial, mais de 80% da população já vive em ambientes urbanos.

Além de revolucionar a gestão nas cidades, o cidadão precisa estar de acordo com as novas medidas. Para tal, um dos facilitadores na implementação deverá ser o 5G, com sua baixa latência e suporte a mais bandas de transmissão de dados.

O fundador da Scipopulis, Roberto Speicys, aponta que as cidades do futuro deverão combinar as novas tecnologias com dados abertos, no intuito de "estimular a inovação, melhorar a eficiência no uso de recursos naturais e oferecer mais qualidade de vida ao cidadão".

Um ponto importante levantado por Marini, na implementação dessas novas tecnologias, são os data centers e o uso de sistemas de nuvem unificados.

A ideia é que a cidade tenha data centers acessíveis e espalhados entre as regiões. Neste caso, concentrar toda a tecnologia num único espaço pode acabar causando mais diferenças sociais, por isso se pensa em abrigar as tecnologias também nos entornos dos centros de trabalho.

Ainda sobre os dados, a green4T reforça que, com a aquisição da Scipopulis, eles terão mais parâmetros para trabalhar nos projetos com segurança.

Trazendo soluções para tornar as cidades inteligentes, ele afirma ainda que a companhia já trabalha com um modelo voltado para a Lei Geral de Proteção de Dados.

Atualmente, a green4T fornece infraestrutura de TI híbridas, IoT e IoC. A empresa conta com mais de 700 colaboradores no Brasil e em 8 países da América Latina.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail