COMUNIDADE

Crimes cibernéticos precisam de tipificação “urgente”

Governo alerta para necessidade de colaboração internacional no combate aos crimes digitais

As leis brasileiras têm tratado os crimes digitais como equivalentes a ocorrências físicas. Para o deputado Julio Semeghini, participante do painel “Segurança: legislação e investigação” durante o Ciab Febraban 2008, esse dispositivo não é suficiente para inibir os crimes digitais.

“É preciso que a legislação trate os crimes cibernéticos como tais”, afirma ele, defendendo que a aprovação do Projeto de Lei 84, de 1999, de sua autoria. O PL tipifica essas ocorrências deve endereçar o problema de maneira mais apropriada. Ele alertou ainda para a necessidade de colaboração internacional, uma vez que muitos criminosos hospedam informações e fazem transações via servidores localizados em “paraísos cibernéticos”, países que não contam com dispositivos específicos para esse fim.

O deputado acredita que a adesão à a Convenção do Conselho Europeu sobre o Cibercrime com algumas restrições no que não for benéfico ao Brasil. Já o Ministro da Justiça Tarso Genro defende que o governo avalia que a convenção não atende à realidade de todos os países, como o Brasil. Mas Genro defendeu uma “responsabilidade solidária” dos provedores de serviço de internet no combate aos crimes cibernéticos.

Acompanhe a cobertura completa do Ciab Febraban 2008

Comentários
As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem unicamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da IT Mídia ou quaisquer outros envolvidos nessa publicação.

Notícias Relacionadas

Copyright 2017 IT Mídia. Todos os direitos reservados.
É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da IT Mídia.