Home > Notícias

Tecnologia italiana busca agilizar compras no varejo brasileiro

Guilherme Borini

02/12/2016 às 12h42

Tecnologia italiana busca agilizar compras no varejo brasileiro
Foto:

Quem nunca desistiu de uma compra quando viu longas filas no supermercado? Ou pelo menos acelerou as compras para conseguir chegar em tempo a outro compromisso, antes de enfrentar a fila do caixa? É com base nesse cenário que empresas de tecnologia buscam desenvolver sensores e coletores de dados para agilizar o atendimento. 

Para o Brasil, a aposta do momento da Datalogic - empresa italiana focada nos mercados de captura automática de dados e automação industrial - é no Jade, equipamento de leitura de códigos de barras que permite implementar solução de checkout automático para compras em grandes volumes em supermercados e atacarejos.

"A preocupação do varejo é sempre entender o cliente da melhor forma. O ideal é o cliente entrar na loja, comprar no seu tempo, ter disponibilidade de produtos e não perder tempo com filas. Esse cliente ficará satisfeito, vai voltar ao estabelecimento e, o principal, falar bem da loja. Nenhuma propaganda é melhor que o boca a boca", comenta Fabio Lopez, diretor de vendas da Datalogic para o Brasil, em entrevista ao IT Forum 365.

A empresa tem 44 anos de atuação e desde 2013 está no Brasil, onde conta com uma fábrica em Jundiaí (SP), inaugurada em 2014, e um escritório em São Paulo. Além de coletores, com a divisão ADC (na sigla em inglês, Automatic Data Capture) -, a companhia conta também com oferta de sensores com foco no mercado industrial. Cerca de dois terços dos negócios estão voltados à área de ADC, que é o carro-chefe no Brasil - em Jundiaí, por exemplo, os quatro tipos de produtos fabricados são deste setor. Globalmente, a empresa tem mais de 50% do market share de leitores de código de barra fixos.

O Jade foi lançado há cerca de três anos nos EUA e, após período de "tropicalização", chegou ao Brasil e está pronto para iniciar operação ainda neste ano na rede de supermercados paranaense Condor.  O lançamento no País conta com parceria da Fast Gôndolas, empresa responsável pelo desenvolvimento do checkout exclusivo para a nova solução. Lopez afirma que a companhia já tem acordo fechado com outra rede de supermercados em Minas Gerais e outros cinco projetos pilotos em andamento.

A estimativa da empresa é que a tecnologia possa agilizar o tempo da operação no caixa em até cinco vezes. Enquanto um operador com as tecnologias atuais passa em média 12 itens por minuto, o Jade consegue chegar de 60 até cem. "O objetivo é deixar o caixa mais rápido, principalmente para grandes volumes”, afirma Lopez.

Como funciona
Os itens são colocados sobre a esteira em qualquer posição e, à medida que passam pelo scanner tipo portal, os códigos de barras são lidos e mesmo produtos sem códigos de barras são reconhecidos por meio de imagens detalhadas de cada mercadoria geradas durante a leitura. Ou seja, os produtos são reconhecidos por características da embalagem, como peso e tamanho. 

"O aumento na agilidade do atendimento reflete na redução do tempo de fila, melhorando a experiência do cliente e evitando que o mesmo deixe de comprar alguns produtos enquanto espera para ser atendido na fila, aumentando o número de vendas e reduzindo perdas para o varejo", destaca Lopez.

Engana-se quem pensa que o operador perderá sua função. "A tecnologia não substitui o operador, apenas mudará sua função. Ele ficará na mesma posição, acompanhando o processo, além de ter um papel consultivo para ajudar os clientes a usarem a tecnologia. Quem tem que se adaptar é o empacotador das compras, aquele que ajuda o cliente a colocar os produtos no carrinho, que precisará correr para conseguir dar conta da velocidade do processo”, brinca.

O Brasil ainda não avançou em self-checkout, como outros países. Apesar de não ser o foco direto, indiretamente a Datalogic pode se beneficiar com essa tecnologia. A companhia conta com fornecedores parceiros deste tipo de solução, que usam o sistema de detecção Datalogic para essa modalidade de oferta. Parcerias, aliás, é a principal estratégia da empresa no Brasil: a operação funciona com três distribuidores e vendas 100% via canais.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail