COMUNIDADE
CPqD amplia contrato com projeto do Ministério da Defesa

CPqD amplia contrato com projeto do Ministério da Defesa

Contratos firmados com dos órgãos do Exército fazem parte do projeto Rádio Definido por Software de Defesa (RDS-Defesa)

O CPqD assinou dois novos contratos dentro do Projeto Rádio Definido por Software de Defesa (RDS-Defesa), do Ministério da Defesa brasileiro, coordenado pelo Exército. São contratos de pesquisa e desenvolvimento de novas funcionalidades a serem incorporadas à primeira fase do projeto e também a criação de um módulo de forma de onda.

As funcionalidades já estão sendo trabalhadas com o CPqD em parceria com o o Centro Tecnológico do Exército (CTEx). Entre eles, destacam-se um software planejador de missões, para gerenciamento e configuração do rádio, e diversos componentes de aplicação aderentes ao padrão SCA (Software Communications Architecture), na faixa de frequência VHF (3 a 30 Mhz).

Já o módulo de forma de onda será na faixa de frentência HF (3 a 30 MHz), em contrato assinado com a Fundação de Apoio à Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (FAPEB) do Exército Brasileiro. Com duração prevista de dois anos, o contrato conta com recursos da FINEP – Financiadora de Estudos e Projetos destinados ao Programa Nacional de Rádios Definidos por Software do Ministério da Defesa.

O objetivo do RDS-Defesa é promover a interoperabilidade física nas comunicações táticas das Forças Armadas do Brasil, por meio do desenvolvimento de protótipos de rádio baseados no conceito RDS – uma área sensível no contexto da defesa cibernética.

De acordo com o General de Exército Sinclair Mayer, chefe do Departamento de Ciência e Tecnologia do Exército, o projeto reduzirá a dependência tecnológica do setor estratégico. “Também, para dinamizar a Base Industrial de Defesa no setor das telecomunicações”, complementou.

Para a interoperabilidade, os componentes do sistema de radiocomunicação, usualmente em forma de hardware, passam a ser implementados por software em computadores comuns (PCs) ou em sistemas embarcados. “Isso torna o sistema de rádio programável, extremamente seguro e de fácil operação”, explica o diretor de Redes Convergentes do CPqD, Paulo Cabestré. 
Comentários

Notícias Relacionadas

Copyright 2017 IT Mídia. Todos os direitos reservados.
É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da IT Mídia.