COMUNIDADE

Análises corporativas realizadas em nuvem já igualam on-premise, diz estudo

Segundo pesquisa da Informatica, maioria dos entrevistados esperam expandir ainda mais suas implementações de nuvem no futuro

O Relatório The State of Cloud Analytics 2016, divulgado pela Informatica e conduzido pela Deloitte, revela que 70% das empresas consideram a nuvem como parte chave da sua estratégia de análise. Ainda, o estudo apurou que hoje a análise na nuvem não é apenas essencial, mas também caminha para ser dominante no ambiente de negócios.

A pesquisa foi conduzida no final de 2016 com 402 líderes de negócios e tecnologia em todo o mundo. Entre as descobertas, foi revelado que as análises realizadas em nuvem agora atingiram a igualdade em adoção com as realizadas on-premise. As implementações analíticas de hoje são divididas quase igualmente entre ambientes on-premise e nuvem (híbrida ou pública), com a maioria dos entrevistados esperando expandir suas implementações de nuvem no futuro.

Segundo Lyndsay Wise, diretora de pesquisa da EMA, o principal destaque do estudo é que a adoção da nuvem está se expandindo rapidamente à medida que as empresas encontram sucesso com suas primeiras implementações de análise da nuvem e evoluem para criar ambientes mais maduros e promovem uma adoção mais ampla. “À medida que esses ambientes se tornam mais maduros e robustos, os usuários de análises estão exigindo acesso aos seus dados de maneira que tornem mais rápido e fácil interagir com eles. Nesse sentido, o acesso de autoatendimento governado é o grande facilitador da crescente introspecção analítica que as empresas precisam para se manterem competitivas”, destaca.

Confira as principais conclusões do estudo:

– Análises em nuvem já passaram do ponto de inflexão e agora são top of mind – A nuvem é uma parte chave ou muito importante na estratégia analítica de 91,7% dos entrevistados.

– Adoção das análises em nuvem é impulsionada por necessidades vitais de negócios – Os três principais drivers de negócio para análise em nuvem foram identificados como aperfeiçoamento de processos de negócios (23,5%), experiência do consumidor (22,2%) e melhor colaboração entre equipes e fornecedores (19,1%).

– Adoção também é impulsionada pelo custo – Os executivos que responderam a pesquisa identificaram a redução de custos (19,5%) como o principal fator técnico para mover a análise para a nuvem. Em termos de drivers financeiros, o custo de implementação/adoção foi identificado como o principal benefício monetário (47,6%).

– Segurança é um fator técnico e um obstáculo – A segurança de dados foi identificada como o segundo principal fator técnico para a adoção das análises em nuvem (15,1%). No entanto, segurança e compliance foram vistos como o principal obstáculo à implementação na nuvem (40%). No entanto, o medo das questões de segurança diminuiu (em 5%) entre os entrevistados com implementações de nuvem mais maduras.

– Integração e migração são vitais – O segundo principal obstáculo à adoção foi identificado como integração e migração (34,6%), apontando para a importância crítica de ferramentas de integração de dados completas.

– Organizações estão extraindo insights por meio de um acesso mais amplo às soluções self-service – Empresas que possuem recursos robustos de análise em nuvem estão alimentando percepções mais rápidas e tendo maior agilidade por meio de autoatendimento governado para integração de dados (84%), mapeamento de dados (83%), modelagem de dados (82%) e governança de dados (77%).

Comentários

Notícias Relacionadas

Copyright 2017 IT Mídia. Todos os direitos reservados.
É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da IT Mídia.