COMUNIDADE

Especialista mostra como tecnologia BIM economiza tempo e dinheiro na construção civil

Tecnologia BIM possibilita captar e organizar o máximo de dados a respeito de uma obra e dos processos envolvidos nela

Integrar em uma plataforma consolidada informações sobre todo o ciclo de vida da obra e sobre todas as etapas e componente de cada parte de uma construção, permitindo o acesso e a colaboração por parte de todos os profissionais envolvidos – engenheiros, arquitetos, construtores, fornecedores.

Esse poderia ser o conceito de “mundo ideal” para a construção civil, mas é a definição da tecnologia BIM – Building Information Modeling.

Segundo o diretor da Cótica Engenharia, Maurício Cótica, apesar de ainda não tão popular no Brasil, o BIM tem se tornado cada vez mais conhecido por empresas ligadas ao universo da construção, especialmente por trazer benefícios como a redução significativa de custos.

Como funciona?

O diretor explica que um software de BIM permite expor, em um modelo 3D, todos os materiais, serviços, processos, profissionais e demais demandas cabíveis a cada obra, ou, ainda, a cada item de uma obra. Assim, é possível, por exemplo, detalhar ao máximo tudo o que será necessário para erguer uma parede, verificando em um molde muito próximo ao real cada componente do serviço e do produto final e, a partir disso, fazendo um cálculo muito mais preciso do investimento demandado – e da viabilidade ou não de opções para reduzi-lo.

A tecnologia BIM possibilita captar e organizar o máximo de dados a respeito de uma obra e dos processos envolvidos nela, economizando tempo e recursos dos envolvidos – que, no modelo tradicional de projeto, são obrigados a elaborar vários novos documentos referentes ao planejamento, acompanhamento e execução de cada novo empreendimento.

“Não que o BIM elimine a necessidade de tais documentos. Não há construtora que se livrará de fazer orçamentos, cronogramas de obra, autorizações e outros materiais imprescindíveis para a execução de uma obra. Porém, com o BIM todos os dados de cada projeto estarão integrados em uma plataforma única, melhorando o acesso e o compartilhamento da informação, o que tornará muito mais práticos e rápidos os procedimentos de modelagem, planejamento, estratégia, acompanhamento e execução”, explica Cótica.

Integração com áreas

Conforme o diretor, a modelagem proposta pelo BIM é, pelo detalhamento que possibilita, pela integração entre áreas que permite e pela fidelidade ao produto final que apresenta, útil para evitar percalços e contratempos em meio à execução de construções.

“Isso porque o modelo detalhado, construído a partir do trabalho colaborativo, paralelo ou simultâneo, das diversas partes envolvidas, somado à riqueza de componentes e situações expostos, facilita a detecção de eventuais gargalos e a antecipação de soluções, bem como a projeção de possíveis falhas e a prevenção de seu acontecimento pela mudança necessária aos planos ou aplicação da correção cabível”, detalha.

Algo que não se resume a dimensões, localização, espessura ou materiais componentes de estruturas: a atualização em tempo real proposta pelo BIM permite atuar de forma proativa em relação a questões hidráulicas, elétricas, a quantidades de insumos e mão de obra, a parâmetros legais e de engenharia, a propriedades de materiais utilizados ou indicados, a capacidades térmicas, acústicas e outras, a custos envolvidos, prazos e tantas outras variáveis quantas apresentar cada projeto.

“As possibilidades abertas pelo BIM são vastas. Os benefícios trazidos por esta tecnologia ao canteiro de obras e, principalmente, ao cliente final, também”, finaliza o executivo.

Comentários

Notícias Relacionadas

Copyright 2017 IT Mídia. Todos os direitos reservados.
É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da IT Mídia.