Home > Colunas

Você está satisfeito com sua estratégia de m-commerce? Não deveria

Segundo a consultoria eMarketer, os gastos com anúncios para dispositivos móveis serão de 232 bilhões de dólares em 2019

André Dylewski*

19/06/2019 às 21h01

Foto: Shutterstock

Em um ramo de atividade tão dinâmico e competitivo como o e-commerce, acompanhar as tendências tecnológicas e comportamentais dos consumidores é uma necessidade vital. Hoje, um dos caminhos ainda polêmicos é a configuração da estratégia mobile dessas empresas, o mobile commerce, uma necessidade que se acentua ainda mais com o rápido crescimento das compras via aplicativos.

A consultoria eMarketer prevê que os gastos globais com anúncios para dispositivos móveis serão de US$ 232,34 bilhões em 2019. Além disso, de acordo com a plataforma de estatísticas Statista, o tráfego global de dados móveis deverá aumentar quase 3 vezes até 2021. Um dos motivos por trás desse movimento é o aumento de usuários de smartphones, que gastam quase 90% do tempo no celular em aplicativos.

Para se adaptar a essa realidade as empresas correram para criar os seus próprios apps, mas será que já estão explorando todo o potencial de vendas dos dispositivos móveis? Hoje este é o principal desafio lançado aos profissionais de marketing.

Visitas mais frequentes em apps

Os aplicativos não estão no centro das atenções atoa. De acordo com o TechCrunch, os apps possuem engajamento maior do que os websites, seja nos desktops ou mesmo em sua versão mobile, com taxas de conversão de 100 a 300% maiores. Esse incremento nas vendas é causado pelo crescimento do volume e na frequência de visitas. O usuário de aplicativos móveis passa pela jornada do cliente três vezes mais rápido e vê 4,2 vezes mais produtos que usuários de outros canais.

Sob o ponto de vista de marketing, os aplicativos ainda representam uma nova gama de possibilidades para as campanhas. De acordo com o relatório App Annie, o tempo gasto em aplicativos de compras cresceu para 18 bilhões de horas em 2018. Esse dado reflete o aumento da conexão instantânea entre marcas e consumidores e oferece às companhias muitas oportunidades para atrair ainda mais esses usuários por meio de mensagens push, e-mails, notificações, e anúncios personalizados, por exemplo.

Retargeting: a chave para mais conversões

Quando se trata do ecossistema mobile, o App Fatigue, ou a tendência de o usuário manter apenas aplicativos extremamente relevantes no celular, também deve ser considerada. Dados de um relatório da Accengage de 2018 mostram que apenas 44% dos usuários de iOS possuem notificações push ativadas, e 28% dos aplicativos são desinstalados após 30 dias de uso. Por isso, estratégias alternativas e complementares se fazem necessárias para uma campanha mobile efetiva.

Com base nisso, o ‘retargeting’ vem se tornando uma ferramenta indispensável para o dia-a-dia do marketing mobile. A estratégia, que é tradicionalmente uma das melhores opções para fidelizar consumidores ou para ajudá-los a concluir uma compra em sua loja online, tem particular eficiência nesse ecossistema, que concentra mais de 80% dos inventários disponíveis.

Praticidade e performance

Uma das vantagens de implementar o retargeting no ambiente mobile é a praticidade de integração disponibilizada atualmente. As empresas especializadas em retargeting já estão conectadas ao universo digital de seus fornecedores, por isso, quando a marca tem um aplicativo configurado em uma plataforma de um parceiro, a integração é instantânea.

Já no quesito performance, o retargeting no aplicativo segue os mesmos valores que o retargeting da web. Isso viabiliza um maior engajamento de usuários, impulsionando as conversões e as vendas com anúncios personalizados, ofertas relevantes e uma boa experiência de compra, sempre no momento certo.

Em geral, os aplicativos são um ótimo ambiente para experimentar diferentes abordagens e táticas de marketing, elevando as taxas de conversão. Porém, muitos profissionais de marketing, surpreendentemente, ainda desconhecem o potencial da publicidade dentro do app. A boa notícia é que os clientes já estão por lá, só esperando que sua marca se torne visível na palma de suas mãos.

*André Dylewski é country manager da RTB House no Brasil

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail