Home > Colunas

Você tem mesmo total controle do seu negócio?

Aprenda cinco atitudes para ser um bom 'controller'

Marcelo de Sá*

24/05/2019 às 15h40

Foto: Shutterstock

Nunca pilotei um avião. Mas, como um 'controller', sempre me intrigou o tamanho do desafio e a responsabilidade de tirar do chão uma máquina pesando toneladas e com centenas de vidas a bordo.

Ter o controle de um negócio é como pilotar uma aeronave. Não importa. Você pode ser o empreendedor de uma pequena empresa, um Cessna, ou de uma grande organização, um Jumbo, sua jornada só será bem-sucedida se tiver total domínio de todos os dados que podem afetar positivamente ou negativamente seu plano de voo.

A posição de 'controller' é, em poucas palavras, o “coração do negócio”. Ela é responsável por acompanhar de perto a contabilidade, claro, mas não somente. A controladoria conhece e monitora “na lupa” todos os setores, cada órgão vital, as finanças, o comercial, o RH, o marketing, o TI e todas as áreas estratégicas para manter a organização viva e saudável.

É a controladoria que define e audita os padrões de controle, projeta os resultados e se certifica de que as metas do planejamento estratégico estão sendo atingidas, identificando ameaças e oportunidades e tomando as ações pertinentes para corrigir eventuais desvios e garantir uma viagem segura aos acionistas e colaboradores.

Todos os dias vivo esta mesma emoção de um piloto que tem nas mãos o comando de um avião que, se distrair por um minuto, pode colocar tudo a perder, especialmente em um país com uma economia oscilante e afetada por sucessivas crises geradas tanto por fatores internos quanto externos.

E o que é preciso para ser um bom controller?

Com base na minha experiência, enumero cinco atitudes que julgo essenciais para ter total controle do negócio.

1) Acorde cedo

Só há uma forma de estar sempre com o radar ligado para tudo que acontece no Brasil e no mundo: saia da cama antes do nascer do sol. Levanto todos os dias às 4h. Às 8h30 já li todos os jornais para me atualizar especialmente das notícias sobre política e economia. Temos uma equipe de 11 profissionais que leem diariamente os 27 diários oficiais do Estado. E durante o dia não tiramos os olhos da movimentação do mercado. Muitos dos nossos insumos são orçados em dólar e qualquer variação cambial pode causar grande impacto nos nossos custos. Portanto, não cochile e avance para segunda atitude.

2) Mantenha uma visão 360

Se você e sua equipe acordam cedo e estão sempre atentos ao cenário político e econômico, vocês já estão algumas horas na frente da concorrência. Qualquer mudança de rota pode significar, no caso de uma empresa como a nossa, uma diferença de milhões de reais a mais ou a menos no caixa no final do mês. Em um mercado onde as regras tributárias e fiscais podem mudar a qualquer momento, é fundamental manter ininterruptamente uma visão 360 do negócio, o que só é possível seguindo a atitude anterior (1) e partindo para próxima (3).

3) Tenha obsessão por dados

Emitimos centenas de milhares de Notas Fiscais todos os meses. Somente com um ERP muito bem estruturado conseguimos, assim que uma Nota é faturada, integrar e acionar todas as áreas – financeira, tributária, contas a pagar, contas a receber.

Nossa área de 'business intelligence' (BI) disponibiliza uma grande quantidade de dados atualizados em tempo real. De olho no 'dashboard' na minha tela, consigo saber a qualquer hora quanto vendemos de bebidas retornáveis ou de descartáveis, para que cidade, o volume de hectolitros ou de caixas negociado de cada marca e muitas outras informações.

Precisamos manter uma “cultura de dados” para definir estoque, distribuição, preço, marketing. Seja qual for a decisão, ela é sempre baseada em dados reais atualizados. No caso da venda de cerveja, até mesmo a estação do ano, o bairro onde está o estabelecimento ou o dia da semana podem influenciar nas vendas. E em produtos de consumo, 1 pontinho de participação de mercado pode representar vendas de milhões, bilhões de reais.

Somente um 'controller' obcecado por dados consegue ter bons argumentos para negociar com o C-Level, conquistar a cooperação de todas as demais áreas e estar pronto para seguir para próxima atitude, que, ao final do dia, é crucial para vencer a concorrência.

4) Mantenha-se sereno e tome decisões rápidas e assertivas

Em 2007, passamos cinco meses de um quadro de 35 para 1100 colaboradores. Foi esta batalha que me levou para Diretoria de Controladoria do Grupo. Como uma empresa que atua no varejo e em franco e rápido crescimento, nosso processo decisório tem que ser imediatista.

Não podemos esperar 24 horas para definir a precificação de um produto em determinada região. A lentidão pode significar uma perda significativa de market share. Então, esteja sempre municiado de todas as informações, tenha conhecimento e liderança de todas as áreas e cruze dados a cada segundo para agilizar a tomada de decisões.

Procuro manter uma rotina de reuniões presenciais com todos os departamentos, para que todos estejam sempre na mesma página estruturamos vários comitês, de auditoria, sistemas, marketing, comercial, com os quais sento periodicamente para que eu possa, de posse de todas as informações já filtradas, aprovar ou não investimentos e revisão de preços no varejo, entre outras decisões.

Outro ponto essencial é sempre manter a serenidade para permanecer no controle da situação. Perdemos muito quando enfrentamos a greve dos caminhoneiros no ano passado, mas tudo que podíamos fazer era ficar calmos, acompanhar as notícias e se preparar para recuperar o tempo e o dinheiro perdido. A melhor forma de não perder a tranquilidade é não sair da linha do seu orçamento e sempre deixar claro para sua equipe quais são as metas que precisa atingir.

E tão importante quanto ser ágil na condução do negócio é acompanhar as evoluções tecnológicas em todas as frentes para fazer os investimentos certos que irão trazer ganhos de produtividade, economia de custos e aumento da competitividade, o que nos leva para última e também indispensável atitude.

5) Faça da tecnologia sua aliada

Não são apenas as intempéries econômicas e financeiras que tiram o sono dos empresários. A função de 'controller' se tornou ainda mais indispensável nos dias de hoje para o sucesso das organizações por conta do surgimento de novos modelos disruptivos de negócios sustentados pelas novas tecnologias digitais. Seu próximo concorrente poderá estar nascendo agora mesmo em uma garagem qualquer e com custos de investimento infinitamente menores.

A necessidade de manter ativo um laboratório de inovação para sobreviver na Indústria 4.0 levou os gestores a precisarem assumir uma postura muito mais ‘fora da caixa’ sob pena de sucumbir a um mercado cada vez mais competitivo com clientes cada vez mais exigentes.

Se você não está pronto para quebrar paradigmas, cuidado, são grandes as chances de ser atropelado por um competidor que já descobriu o poder dos dados e das tecnologias “do futuro”, como inteligência artificial (IA), internet das coisas (IoT) e blockchain, para garantir uma administração mais eficaz.

Então aterrisse agora, coloque a aeronave no pátio, e cheque cuidadosamente cada peça, cada detalhe. Já desenhou seu planejamento estratégico? Tem um planejamento tributário? Como faz sua gestão de custos e despesas? Como administra seu fluxo de caixa? Acompanha os passos do seu concorrente?

Afinal, tudo que você não quer é perder o controle da aeronave, não é mesmo?

*Marcelo de Sá é diretor de Controladoria do Grupo Petrópolis

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter Newsletter por e-mail